UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/11/2009 - 18h41

Bovespa acompanha humor externo e fecha com mais de 2% de alta

SÃO PAULO - O mercado acionário viveu um pregão de forte otimismo, acompanhando a melhora de humor verificada nas principais bolsas internacionais. A manutenção da taxa de juros americana pelo Federal Reserve também trouxe alívio, especialmente pelo fato de o comunicado do banco não ter sido alterado, o que tranquiliza os agentes em relação ao próximo encontro, marcado para 15 de dezembro.

Desde o início do pregão o Ibovespa operou no azul. Depois de atingir a máxima de 64.142 pontos, o Ibovespa fechou o dia com aumento de 2,03%, aos 63.912 pontos, com giro de R$ 6,609 bilhões. Ontem o índice já havia ganhado 1,78%.

Em Wall Street, os investidores demonstraram alívio com a decisão do Federal Reserve e a manutenção da perspectiva de manutenção da taxa de juro. O Dow Jones apontava há pouco alta de 1,28%, aos 9.897 pontos. O S & P 500 subia 1.10%, para 1.056 pontos. Já o Nasdaq ganhava 0,69%, a 1.071 pontos. Com a entrada do horário de verão nos Estados Unidos, o fechamento dos índices ocorre agora às 19h.

Segundo Maristela Ansanelli, economista do banco Fibra, o comunicado do Fed não trouxe nenhuma grande novidade, o que garantiu manutenção das boas expectativas para a recuperação econômica dos EUA. O banco sustentou o termo "período extenso" para sua política de juros baixos, eliminando suspeitas de que a autoridade monetária poderia sinalizar o retorno de aperto de juros no futuro.

"Não houve também nenhuma sinalização adicional ou tom mais preocupante", diz a economista, destacando que essa neutralidade garante o otimismo dos investidores não só em relação às condições macroeconômicas dos EUA, como também para o bom andamento de recuperação de países emergentes como o Brasil.

Para a LCA, o comunicado ampara expectativas de que o Fed só deverá começar a ser elevada a partir de meados de 2010. Pedro Paulo Silveira, economista-chefe da corretora Gradual, acredita que a avaliação do Fed leva em conta a melhora dos indicadores de atividade e do mercado imobiliário com condições ainda ruins no mercado de trabalho, o que restringe o consumo das famílias. "O sinal do Fed foi positivo, ao sustentar que mantém seu compromisso com a recuperação da economia e se diz pronto para lançar mão de mais medidas, caso seja necessário", diz Silveira.

Entre os ativos de maior peso na carteira do Ibovespa, Petrobras PN ganhou 0,42%, para R$ 35,70; Vale PNA subiu 1,51%, a R$ 41,58; Itaú Unibanco PN registrou alta de 3,23%, para R$ 36,40 e BM & FBovespa ON ganhou 5,63%, cotada a R$ 12. As ações PN do Bradesco registraram a terceira maior queda do pregão, de 0,70% (R$ 35,03), após o banco ter apresentado pela manhã lucro menor que o esperado.

Na ponta de compra, as ações ON da JBS lideraram a alta nesta sessão, com aumento de 10,20% (R$ 10,80); Cyrela ON subiu 6,46% (R$ 23,55) e Net PN teve aumento de 5,86% (R$ 23,29).

(Bianca Ribeiro | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host