UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/11/2009 - 09h17

Bovespa subiu 2% e dólar recuou 0,97% em dia de decisão do Fed

SÃO PAULO - O mercado doméstico teve mais uma dia de bom humor na quarta-feira, com alta no mercado acionário e baixa do dólar e das taxas de juros. O movimento acompanhou o otimismo verificado em todos os principais mercados internacionais.

A manutenção da taxa de juros americana pelo Federal Reserve (Fed) também trouxe alívio na reta final do pregão, especialmente pelo fato de o comunicado do banco não ter sido alterado, o que tranquiliza os agentes sobre eventuais mudanças uma política monetária dos EUA no próximo encontro, marcado para 15 de dezembro.

Depois de atingir a máxima de 64.142 pontos, o índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) fechou o dia com aumento de 2,03%, aos 63.912 pontos, com giro de R$ 6,609 bilhões. O dólar comercial terminou com desvalorização de 0,97%, a R$ 1,7260 na compra e R$ 1,7280 na venda. Na roda de " pronto " da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o dólar caiu 1,04%, para fechar a R$ 1,7280. O volume negociado atingiu US$ 168,2 milhões.

Os índices se sustentaram no azul enquanto esperavam a decisão do Fed, divulgado às 17h15. Segundo Maristela Ansanelli, economista do banco Fibra, o comunicado do Fed não trouxe nenhuma grande novidade, o que garantiu manutenção das boas expectativas para a recuperação econômica dos EUA. O banco sustentou o termo " período extenso " para sua política de juros baixos, eliminando suspeitas de que a autoridade monetária poderia sinalizar o retorno de aperto de juros no futuro.

" O sinal do Fed foi positivo, ao sustentar que mantém seu compromisso com a recuperação da economia e se diz pronto para lançar mão de mais medidas, caso seja necessário " , diz Pedro Paulo Silveira, economista-chefe da Gradual Corretora.

Entre os ativos de maior peso na carteira do Ibovespa, Petrobras PN ganhou 0,42%, para R$ 35,70; Vale PNA subiu 1,51%, a R$ 41,58; Itaú Unibanco PN registrou elevação de 3,23%, para R$ 36,40 e BM & FBovespa ON avançou 5,63%, cotado a R$ 12. As ações PN do Bradesco registraram a terceira maior queda do pregão, de 0,70% (R$ 35,03), após o banco ter apresentado pela manhã lucro menor que o esperado.

Na ponta de compra, as ações ON da JBS lideraram a alta nesta sessão, com aumento de 10,20% (R$ 10,80); Cyrela ON subiu 6,46% (R$ 23,55) e NET PN teve aumento de 5,86% (R$ 23,29).

No segmento cambial, os agentes levaram em conta a desvalorização da divisa também em relação a outras moedas, como o euro. Flávio Serrano, economista-sênior do BES Investimentos, destaca que a valorização de commodities também está diretamente associada ao movimento.

Analistas avaliam que o fluxo de recursos ainda é forte no mercado externo e que parte dele continua vindo para o mercado brasileiro mesmo com IOF de 2% sobre capital externo em bolsa. O Banco Central (BC) executou leilão no mercado à vista, tendo comprado moeda a R$ 1,7272 em operação encerrada às 15h40. O banco informou ter comprado US$ 221 milhões no mercado de câmbio à vista na semana passada. O volume foi menor que os US$ 541 milhões comprados na semana anterior. Na nota de fluxo cambial, outubro foi o sétimo mês consecutivo de fluxo positivo. A entrada líquida registrada apenas no mês passado, de US$ 14,598 bilhões, superou os US$ 11,232 bilhões que haviam ingressado no país de abril a setembro.

As taxas dos Depósitos Interbancários (DIs) recuaram ao longo do dia, mas diminuíram o ritmo na reta final do pregão para fecharem perto da estabilidade. O contrato com vencimento em janeiro de 2011, o mais líquido do dia, apontava baixa de 0,01 ponto percentual, a 10,22%. Já o vencimento para janeiro de 2012 registrou estabilidade, a 11,55%. E janeiro de 2013 projetava 12,25%, com recuo de 0,01 ponto.

Em Wall Street, os investidores demonstraram alívio com a decisão do Fed e a manutenção da perspectiva de manutenção da taxa de juro, mas devolveram parte dos ganhos após a decisão do Congresso americano de aprovar uma lei que altera as normas de cartão de crédito no país à favor dos consumidores, com limitações para aumento de taxas e juros, por exemplo.

O Dow Jones fechou com alta de 0,31%, para 9.802 pontos, após ter subido mais de 1%. O Standard & Poor´s 500 registrou igual movimento e encerrou aos 1.046 pontos, com valorização de 0,10%. Já o Nasdaq, que apresentou altas mais modestas no dia, acabou fechando com baixa de 0,09%, aos 2.055 pontos.

(Bianca Ribeiro | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host