UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/11/2009 - 14h39

B2W projeta melhor diluição de custos nos próximos resultados

SÃO PAULO - Após ter o resultado do terceiro trimestre afetado negativamente pelo aumento nos custos e despesas operacionais, a empresa de comércio eletrônico B2W prevê uma melhora de margens nos próximos balanços, como resultado das medidas da empresa para trabalhar com uma estrutura mais enxuta.

De acordo com o diretor de relações com investidores da companhia, José Timóteo Barros, a B2W deverá mostrar nos próximos meses os resultados de uma série de medidas destinadas a reduzir as despesas. Além disso, a expectativa é de que o tíquete médio - o valor gasto por consumidor nos sites do grupo - interrompa a trajetória de queda, o que permitirá à empresa diluir melhor seus custos fixos. "O tíquete médio não terá mais queda daqui para frente", disse Barros em teleconferência realizada hoje com analistas. "Teremos uma série de ganhos e o Natal será uma boa oportunidade para mostrar a nossa capacidade de diluição", acrescentou.

Para aprimorar a estrutura de custos, o grupo tem buscado a unificação da plataforma logística e a integração dos centros de distribuição. O plano é operar a partir de dois centros de distribuição distintos a partir do próximo ano.

No terceiro trimestre, apesar de um aumento de 26% na receita líquida, para R$ 999 milhões, os custos e despesas levaram o resultado operacional da companhia para R$ 80,12 milhões, um recuo de 10% na comparação com o mesmo período de 2008.

A margem do resultado operacional medido pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) ficou em 11,1%, ante a margem de 13,8% apurada um ano antes. O resultado foi influenciado por uma maior agressividade comercial da empresa, além de uma mudança desfavorável no mix de produtos comercializados, de acordo com Barros.

Apesar de não traçar projeções, o executivo apontou que os investimentos também devem subir no próximo ano, depois de a B2W sair de um ciclo de preservação de caixa. Com isso, a companhia deverá levar a cabo uma série de melhorias e inovações que foram adiadas neste ano, afirmou. (Eduardo Laguna | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host