UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/11/2009 - 19h50

Bolsas de Nova York fecham com ganhos apesar de desemprego alto

SÃO PAULO - As bolsas de Nova York passaram o dia entre altos e baixos, com os agentes considerando os dados de desemprego no país. Se por um lado a taxa de desocupados nunca esteve tão alta, por outro lado o ritmo de dispensas está caindo. Diante esse cenário, os investidores atuaram com cautela e levaram os principais índices a uma modesta alta na reta final dos negócios.

O índice Dow Jones fechou aos 10.023 pontos, com aumento de 0,17%. O Standard & Poor´s 500 avançou 0,25%, para 1.069 pontos. O Nasdaq encerrou aos 2.112 pontos, com valorização de 0,34%. Na semana, o Dow subiu 3,2%, o Standard & Poor´s 500 também avançou 3,2% e o Nasdaq ganhou 3,1%.

Conforme dados divulgados hoje, a taxa de desemprego nos EUA atingiu 10,2%, ante previsões de 9,9%. Para os analistas, trata-se da superação de uma marca psicológica, mas muitos economistas já esperavam por um aumento superior a 10%.

Seja como for, o mercado buscou consolo no fato de o indicador de folha de pagamentos do país, o payroll, ter apontado uma desaceleração do fechamento de vagas. Por esse ponto de vista, embora o cenário seja negativo agora, o fundo do poço para o mercado de trabalho americano pode estar sendo deixado para trás.

Ao mesmo tempo duas empresas de porte no país tiveram projeções de ganhos elevadas no mercado e sustentaram algum otimismo. Foi o caso da GE, cujos papéis ganharam 6,24% (US$ 15,33) após analistas do Sanford C. Bernstein e Oppenheimer elevarem a classificação da companhia e a perspectiva de preço das ações.

A varejista Macy´s também foi agraciada com a melhora de recomendação de suas ações de " neutra " para " acima de mercado " pelo JP Morgan. Os papéis da companhia fecharam com ganho de 6,44% (US$ 19,18).

Em contrapartida, as ações da seguradora AIG tombaram 9,67% (US$ 35,48) devido à queda nas vendas de se seguros de vida e de imóveis. O prejuízo da petroleira Sunoco no terceiro trimestre também resultou em queda de 9,35% nas ações da empresa (US$ 28,21).

(Bianca Ribeiro | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host