UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/11/2009 - 13h17

Dólar volta a cair e Bovespa anula perdas após abertura de NY

SÃO PAULO - Vencido o primeiro susto com o aumento do desemprego nos Estados Unidos, a bolsa paulista já devolveu toda a baixa verificada na última hora e operava praticamente estável. O movimento se espelha em Wall Street, onde as principais bolsas operam no azul.

Depois de atingir a mínima de 63.586 pontos, há pouco, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) apontava queda de 0,04%, aos 64.790 pontos, com giro financeiro de R$ 2,144 bilhões. O dólar recua 0,29%, cotado a R$ 1,7150 para a compra e R$ 1,7170 para a venda. Em Nova York, o Dow Jones subia 0,21%, o S & P 500 ganhava 0,29% e o Nasdaq registrava alta de 0,34%.

Segundo Flávio Serrano, economista-sênior do BES, embora as expectativas de taxa de desemprego dos EUA fossem de 9,9%, muitos analistas de mercado já previam que a taxa superaria 10%; assim, a leitura de 10,2% assustou inicialmente, mas foi compensada pela desaceleração do fechamento de vagas medido pelos dados da folha de pagamento.

Assim, embora a eliminação de postos continue, houve uma redução de ritmo do movimento, o que estaria dando algum alento dentro do conjunto de indicadores do mercado de trabalho.

Ainda que Bovespa tenha registrado forte baixa, de mais de 1% após a divulgação dos número, o dólar só inverteu o sinal para valorização por pouco tempo e com variações bem modestas. Na máxima, a divisa atingiu R$ 1,7290 na venda. A inversão não demorou muito e a moeda voltou a cair de forma mais consistente perante do dólar.

Analistas do segmento acreditam, entretanto, que o dólar não tem muito espaço de variação abaixo de R$ 1,70, o que deve impedir, no curto prazo, variações negativas mais expressivas. Os fundamentos econômicos e o fluxo de capital estrangeiro também continuam, o que segue impedido a apreciação do dólar.

(Bianca Ribeiro | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host