UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/11/2009 - 08h34

Compromisso do país de reduzir gás-estufa pode chegar a 40%, diz Dilma

SÃO PAULO - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou ontem que o Brasil poderá assumir um compromisso voluntário em Copenhague, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, de redução de cerca de 40% das emissões de gases de efeito estufa até 2020.

"Ao reduzirmos o desmatamento [da Amazônia] em 80% [até 2020] já conseguiremos reduzir 20% das emissões de [gás carbônico]", disse Dilma após reunião com o presidente Lula e ministros, em São Paulo.

Para chegar aos 40%, o governo ainda vai calcular qual será a contribuição de outros setores, como agricultura, pecuária e energia.

Segundo a ministra, o compromisso voluntário de reduções ainda não foi fechado porque o governo "não pode achar". "Nós somos o governo, só vamos assumir o que é possível. Falta fazer avaliações consistentes porque temos que provar o que pode ser feito e ter políticas para fazê-lo. Não temos metas a cumprir, temos compromissos voluntários", explicou a ministra.

Conforme Dilma, a proposta do Brasil para a Conferência do Clima, em dezembro, será divulgada em 14 de novembro.

Para a ministra, o crescimento econômico não vai prejudicar os compromissos de redução de emissão de gases poluentes. "Estamos fazendo tudo para assegurar que uma coisa não comprometa a outra", disse.

Dilma assegurou que o Brasil terá uma posição muito clara e que será exemplo para o mundo. "Queremos que Copenhague tenha ganhos, que os [países] ricos cumpram as suas metas e que os em desenvolvimento proponham seus objetivos voluntários." A ministra falou ainda que o maior vilão das emissões de gás carbônico são os combustíveis de energia fóssil e que o Brasil não tem esse problema uma vez que trabalha com energias de matriz renováveis.

(Agência Brasil)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host