UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/11/2009 - 15h11

Bancos privados podem disputar previdência de servidores, diz Bernardo

BRASÍLIA - Ao assinar convênio para a oferta de produtos de previdência complementar aos cerca de 1,8 milhão de servidores federais por dois bancos públicos, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse que a rede bancária privada também pode entrar na disputa por esse mercado.

" Isto não é limitado aos bancos oficiais. A limitação aqui é o custo " , disse ele, ao classificar os convênios fechados com o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal como alternativas de poupança de longo prazo para o funcionalismo público, no cenário atual de queda de juros e de rentabilidade das várias aplicações financeiras do mercado. O acordo de cooperação foi assinado com a Caixa Vida Previdência e a Brasilprev e prevê a oferta de produtos previdenciários aos servidores públicos, com contribuição mínima mensal de R$ 80,00 para o benefício básico. Essa opção é complementar e não interfere na aposentadoria do funcionalismo.

Bernardo avaliou como " uma coisa muito boa " , o fato de os bancos voltarem a ter lucro em cima de operações exclusivas de intermediação financeira, ao contrário do passado, quando ganhavam aplicando no diferencial das altas taxas diárias de juros (overnight), " e emprestando ao setor público a juro elevado " , afirmou. (Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host