UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/11/2009 - 10h11

Dívida europeia e balanços deixam bolsas voláteis

SÃO PAULO - As bolsas europeias registram instabilidade neste pregão, operando entre altas e baixas, com o mercado sendo influenciado pelas divulgações de balanços e pelo aumento do temor de calote por parte dos países mais endividados da região. Os CDS (Credit Default Swap, um derivativo de crédito utilizado como seguro contra calote e que serve de termômetro do risco de um país) de Portugal, Irlanda e Espanha bateram recorde nesta quinta-feira.

Há pouco, o índice FTSE 100, da bolsa de Londres, subia 0,28%, para 5.833,80 pontos, refletindo a disparada de 6,12% nas ações da mineradora Xstrata. Outras empresas do setor também registravam alta, impulsionadas pela valorização das commodities. Os papéis da Anglo American, da Rio Tinto e da BHP Billiton avançavam 1,92%, 1,89% e 1,26%, respectivamente. As ações da petrolífera BP ganhavam 1,24%.

O setor minerador compensou as perdas apresentadas pelos bancos. As ações do Royal Bank of Scotland recuavam 4,36%, seguidas pelas do Barclays (-1,93%), do Lloyds (-1,29%) e do HSBC (-0,84%).

Na bolsa de Frankfurt, o índice DAX tinha alta de 0,34%, aos 6.742,69 pontos, contando com a valorização de 2,23% nas ações da Siemens. Os papéis ganharam fôlego após a companhia informar que os resultados dos próximos meses devem superar as expectativas. Já as ações da Cisco na Alemanha despencaram mais de 10% após a companhia informar que seus resultados deverão ficar abaixo das projeções dos analistas. Em Paris, o CAC 40 caía 0,03%, para 3.887,15 pontos, puxado pelas ações da Alcatel-Lucent, que apontavam baixa de 2,20%. Também operavam no vermelho as bolsas da Espanha e da Itália.

Em Madri, o Ibex 35 recuava 0,67%, para 10.167,00 pontos, com as ações da Telefônica caindo 1,20% após o anúncio dos resultados do terceiro trimestre. Os papéis do setor bancário também ajudavam a manter o indicador em campo negativo. As ações do Santander perdiam 1,14% e as do BBVA, 0,93%. Na bolsa de Milão, o FTSE MIB caía 0,69%, aos 20.913,70 pontos, refletindo as quedas de mais de 2% nas ações dos bancos Intesa Sanpaolo e Unicredit.

(Francine De Lorenzo | Valor, com agências internacionais)
Hospedagem: UOL Host