UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/11/2009 - 13h36

DIs sobem em bloco na BM&F nesta jornada

SÃO PAULO - O mercado de juros futuros opera em alta desde o início das operações desta quinta-feira, em um dia marcado pela ausência do referencial externo, já que o feriado do Dia dos Veteranos nos Estados Unidos deixa o mercado de títulos fechado.

Há pouco, na BM&F, o Depósito Interfinanceiro (DI) do início de 2013 subia 0,05 ponto percentual, a 11,96%, enquanto o contrato de janeiro de 2014 avançava 0,03 ponto, a 11,87%. O DI de abertura de 2015 registrava aumento de 0,02 ponto, a 11,81%.

Entre os vértices mais curtos, o DI com vencimento em janeiro de 2011 tinha leve alta para 10,66%, enquanto o contrato de abertura de 2012 subia 0,05 ponto, para 11,58%.

O sócio da InvestPort Dany Rappaport assinala que, de olho no aumento dos preços das commodities no exterior, as instituições continuam ajustando suas expectativas para a inflação, o que ganhou força após a divulgação do IPCA de outubro.

"Continua o embate entre o Banco Central, que acredita que a inflação vai convergir para a meta, e os bancos, com projeções mais agressivas. Essa história ainda vai dar muito pano para manga e, se os juros ficarem estáveis, há muito prêmio embutido nos DIs", comentou.

Na avaliação de Rappaport, o repique inflacionário visto no momento tende a se dissipar e a taxa básica de juros deve ser mantida no patamar de 10,75% ao ano até o fim de 2011.

"Acredito que o ajuste será feito via aperto fiscal e não monetário, em função do ciclo político atual e pelo cenário cambial. Faz sentido o governo adotar uma política fiscal mais austera", assinalou.

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, disse hoje que a autoridade monetária continua atenta "para tomar as medidas adequadas a fim de manter a inflação na meta".

Ele afirmou que "não há dúvida" de que existe uma pressão de aumento de preços nos alimentos. Outros itens, segundo o presidente do BC, que também pressionam a inflação são objetos de atenção da instituição. "O Banco Central monitora cuidadosamente não só a questão dos alimentos como também outros elementos que compõem os índices de inflação", destacou.

Na agenda do dia, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que o emprego industrial caiu 0,1% entre agosto e setembro, com ajuste sazonal, interrompendo uma sequência de oito resultados positivos. Ante setembro de 2009, o indicador subiu 4,9%.

No âmbito externo, as atenções estão voltadas ao início da reunião dos países do G-20, em Seul, que tem como foco as discussões sobre a chamada "guerra cambial". Nesta jornada, o dólar apresenta valorização em relação a outras moedas, enquanto as bolsas operam no vermelho.

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host