UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/11/2009 - 10h42

Combustíveis puxam alta do IPCA em outubro

RIO - Os combustíveis foram os principais responsáveis pela alta de 0,28% do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em outubro. Juntos, o álcool e a gasolina tiveram um impacto de 0,08 ponto percentual, o equivalente a 28% do resultado do índice em outubro. Em setembro, o IPCA havia fechado em 0,24%.

O crescimento dos preços dos combustíveis foi puxado pelo aumento da demanda e pela quebra da safra de cana da Índia, o que impulsionou os preços do álcool combustível e, consequentemente, da gasolina, uma vez que o derivado do petróleo vendido no Brasil tem adição de 25% de álcool. O excesso de chuvas durante o período da colheita de cana foi outra razão para a elevação dos preços do álcool.

" Além disso, devido à redução de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), venda de carros aumentou. A frota de veículos cresceu e naturalmente subiu a venda de combustíveis " , acrescentou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de índices de preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em outubro, os combustíveis subiram 1,74%. A gasolina avançou 1,06%, enquanto o álcool avançou 10,61%.

O aumento dos preços dos combustíveis fez o grupo Transporte dar a maior salto entre setembro, quando avançou 0,27%, e outubro, quando registrou alta de 0,51%. Neste quesito, além do álcool e da gasolina destacaram-se também os preços dos automóveis, que avançaram 1,08% para os carros novos no mês passado, com uma contribuição de 0,03 ponto percentual para o índice de outubro.

Eulina ressaltou que, depois de sete meses de queda por conta da crise internacional e da redução do IPI, os preços começaram a se recuperar em agosto, atingindo a maior alta do ano em outubro, quando começou a retomada progressiva das alíquotas do imposto.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host