UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/11/2009 - 10h44

Índice de preços ao consumidor da baixa renda tem deflação em outubro

SÃO PAULO - Com a contribuição do grupo Alimentação, que teve a menor taxa desde setembro de 2008, o Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) recuou 0,18% em outubro. As informações são da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Em setembro, o indicador de preços, calculado com base nas despesas de consumo das famílias com renda de um a 2,5 salários mínimos mensais, teve leve avanço, de 0,02%. O resultado do mês passado foi o menor do ano.

O recuo de 0,87% nas despesas com alimentação no mês passado refletiu o barateamento de produtos como frutas, açúcar cristal e aves e ovos. Também no terreno negativo, ficaram Despesas Diversas, com declínio de 0,41%, uma inversão da direção verificada em setembro, quando houve elevação de 0,26%.

Com suavização no ritmo de alta entre setembro e outubro, apareceram Habitação (0,61% para 0,56%) e Vestuário (0,85% para 0,19%), por causa de um acréscimo mais modesto nos preços do gás de bujão e roupas.

Das demais classes de despesa, Saúde e cuidados pessoais tiveram elevação de 0,06%, depois de uma retração de 0,25% em setembro. Transportes oscilaram pouco, de 0,02% para 0,03%. Educação, leitura e recreação tiveram ampliação de 0,46%, seguindo elevação de 0,06%.

No ano, o IPC-C1 teve alta de 3,28%. Em 12 meses, o acréscimo foi de 4,26%.

(Juliana Cardoso | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host