UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/11/2009 - 09h59

Lula mobiliza base para votar reajuste de aposentados

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reúne-se com líderes dos partidos aliados, hoje, às 11 hs, na tentativa de mobilizar sua base parlamentar em favor do projeto negociado com as centrais sindicais, em agosto, como alternativa ao fim do fator previdenciário e à extensão dos reajustes do salário mínimo a todas as aposentadorias. O líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), anunciou o encontro ao sair de reunião com o presidente sobre o tema. Fruto de diversas rodadas de negociação conduzidas pelo ministro da Previdência, José Pimentel, com as principais centrais sindicais de trabalhadores, o projeto foi apresentado como substitutivo pelo deputado Pepe Vargas (PT-RS) na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara. Ele ofereceu a proposta como relator de outro projeto, mais especificamente o que extingue o fator previdenciário, criado em 1999 para inibir aposentadorias precoces. Esse é um dos projetos considerados comprometedores da sustentabilidade fiscal da Previdência.

Lula entrou em cena diante de dúvidas da base aliada quanto ao efetivo interesse do governo em relação ao projeto alternativo de Pepe e, por consequência, ao próprio acordo. Havia questionamento principalmente sobre a posição da equipe econômica, que não participou das negociações com as centrais. Para afastar as dúvidas, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi chamado à reunião entre Lula, o líder do governo e o ministro Pimentel. Também estava presente o líder do PT na Câmara, deputado Cândido Vacarezza (SP), e o deputado Pepe Vargas. " Ficou claro, agora, que o governo de fato quer votar a matéria " , disse Pepe Vargas. Ele diz que nunca teve dúvida sobre esse comprometimento, mas considera necessário o envolvimento maior do presidente, diante da relevância da matéria.

O ressurgimento de pressões para aprovação do projeto que vincula todas as aposentadorias ao mínimo também pesa para o esforço do presidente. Tanto a oposição quanto entidades sindicais que não ficaram satisfeitas com o acordo de agosto vêm pressionando a Câmara a votar favoravelmente à vinculação.

Como alternativa, Pepe assegura reajuste real das aposentadorias suepriores ao mínimo em percentual equivalente a 50% da taxa real de crescimento da economia de dois anos antes. Isso representará, em 2010, aumento de 2,55% acima da inflação. As aposentadorias já iguais ao mínimo terão aumento real de 5,1%. Quanto ao fator previdenciário, o projeto de Pepe o mantém. Mas oferece uma mais vantajosa para homens que somarem 95 anos entre tempo de contribuição e idade e mulheres cuja soma seja 85. (Mônica Izaguirre | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host