UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

13/11/2009 - 10h10

Cyrela espera vendas de R$ 7,6 bilhões a R$ 8,4 bilhões em 2011

SÃO PAULO - A Cyrela Brazil Realty confirmou suas expectativas de lançamentos e vendas contratadas para este ano e para o próximo e aproveitou para informar as projeções de 2011 e 2012.

Assim, os lançamentos este ano devem ser de R$ 4,6 bilhões a R$ 5,1 bilhões, mesma faixa para as vendas. No próximo calendário, a empresa espera R$ 6,9 bilhões a R$ 7,7 bilhões em lançamentos e R$ 6,2 bilhões a R$ 6,9 bilhões em vendas.

As perspectivas da incorporadora imobiliária são ainda melhores para 2011, de lançamentos de R$ 8,3 bilhões a R$ 9,1 bilhões e vendas contratadas de R$ 7,6 bilhões a R$ 8,4 bilhões. Em 2012, os números projetados são de R$ 10,5 bilhões a R$ 11,5 bilhões e R$ 9,7 bilhões a R$ 10,7 bilhões, respectivamente.

Para este ano até 2012, a previsão é de margem bruta de 33% a 37%, margem Ebitda de 20% a 24% e margem líquida de 14% a 16%, seguindo os padrões contábeis vigentes.

"Estamos operando a todo vapor, e os números confirmam que o mercado está ávido para novos lançamentos, nas diversas regiões e nos diversos segmentos em que atuamos", destacou a Cyrela ao anunciar seu desempenho no terceiro trimestre de 2009.

As vendas contratadas de julho a setembro totalizaram R$ 1,630 bilhão, com elevação de 94,2% perante os três meses anteriores e acréscimo de 40,5% em relação há um ano. Citando a recuperação do mercado imobiliário depois da crise, a Cyrela observou que o Valor Geral de Vendas (VGV) lançado atingiu R$ 1,951 bilhão, alta de 202,9% na comparação com o segundo trimestre deste calendário e avanço de 71,5% em relação aos lançamentos do terceiro trimestre de 2008. O lucro líquido situou-se em R$ 264,103 milhões nos três meses até setembro, ou 239% melhor do que os R$ 77,899 milhões de um ano antes. A receita líquida foi de R$ 750,716 milhões para R$ 1,348 bilhão, um salto de 79,7%. Os números de 2008 são pró-forma, de acordo com o novo padrão contábil.

A Cyrela observou ainda que a escolha do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de 2016 irá lhe beneficiar. "Temos um banco de terrenos expressivo na Barra da Tijuca, onde será construído o Novo Centro de Treinamento Olímpico e a Nova Vila Olímpica. Essas novas instalações e as melhorias de infraestrutura que serão feitas nas regiões permanecerão para depois dos Jogos Olímpicos e valorizarão imensamente a região", salientou.

(Juliana Cardoso | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host