UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/11/2009 - 11h38

Presidente da CNI defende inovação como motor do crescimento

BRASÍLIA - Adotada em 2002 como meta, a inovação foi mantida como tema central da política industrial para que o país possa crescer " no mínimo " 6% a partir de 2010. " O futuro do parque produtivo e o futuro do Brasil dependem disso " , afirmou o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto.

Disparando críticas ao câmbio, aos aumentos " preocupantes " dos gastos públicos e à ausência de uma reforma tributária, Monteiro Neto abriu o 4º Encontro Nacional da Indústria com o objetivo de tirar uma agenda de prioridades dos empresários para ser entregue ao próximo governo.

" O próximo passo é o avanço da inovação como estratégia permanente das empresas " , disse o presidente da CNI.

Ele fez um balanço do Brasil na crise financeira global, onde a indústria de transformação foi a mais atingida, com elogios às ações anticrise " exitosas, de caráter tempestivo e pragmático " . " Já ultrapassamos o pior. " Segundo Monteiro Neto, 2010 será " desafiante " , pois o Brasil precisa ter condições de crescer num cenário ainda de recuperação da economia internacional. " O país pode crescer 6% e a indústria pode ser a mola desse processo. Mas as pequenas e médias empresas trabalham aqui em ambiente ainda hostil " , afirmou Monteiro. Foi a deixa para ele atacar a valorização do câmbio, a concorrência dos produtos chineses, a perda de competitividade das exportações brasileiras e a expansão dos gastos públicos, que " já representam 17,6% do PIB. " " O Brasil deve adotar medidas extraordinárias, se necessário, para preservar o real " , disse ele. " Preocupa-nos o valor da moeda chinesa e os movimentos de arbitragem em relação ao Brasil " , continuou.

O presidente da CNI clamou ainda por condições mais adequadas para o aumento dos investimentos e pediu que o governo insista para que os países desenvolvidos cheguem a um acordo de curto prazo para as metas de redução de gases do efeito estufa.

(Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host