UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/11/2009 - 12h53

Contratos de juros de longos prazo sobem na BM & F

SÃO PAULO - Os investidores continuam jogando para um futuro mais distante a perspectiva de alta de juro no Brasil. É o que mostram os contratos de Depósitos Interbancários (DIs) transacionados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F). Enquanto os vencimentos mais curtos apontam estabilidade ou baixa, os contratos negociados a partir de 2012 registram elevação dos prêmios.

Há pouco, na BM & F, o contrato de DI para janeiro de 2011 apontava estabilidade, a 10,18% ao ano. Já o vencimento de janeiro de 2012 avançava 0,05 ponto, a 11,62%. O contrato para janeiro de 2013 subia 0,02 ponto, a 12,32%.

Na parte curta da curva, o DI com vencimento em janeiro de 2010 operava estável, a 8,64%, assim como o contrato de julho de 2010, negociado a 9,08 ao ano.

Ures Fochini, vice-presidente de tesouraria do Banco WestLB, atribui esse comportamento das taxas a uma visão dos investidores de que o Banco Central (BC) não deve mais aumentar a taxa Selic no começo de 2010. Essa avaliação incorpora também a perspectiva de manutenção do juro nos EUA por muito tempo, pelo menos nove meses segundo Folchini. Além disso, os dados locais ainda apontam crescimento com folga de capacidade instalada, ou seja, sem pressão inflacionária no curto prazo.

"A visão é de que não há necessidade imediata de subir juros", diz, lembrando que o contrato de janeiro de 2011 já estava suficientemente alto, embutindo essas previsões, e passa a ser ajustado gradualmente. Ao mesmo tempo, os longos passam a subir um pouco mais.

"O BC dá sinais de que será mais parcimonioso no prazo para a subida de juros", diz o gestor de uma asset em São Paulo, lembrando que, sendo um ano eleitoral, poucas pessoas apostam em aumento da taxa no começo de 2010.

(Bianca Ribeiro | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host