UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/11/2009 - 16h26

ANP inicia em dezembro perfuração para definir área cedida à Petrobras

RIO - O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Haroldo Lima, afirmou que as perfurações que determinarão as áreas cedidas onerosamente à Petrobras vão começar na primeira quinzena de dezembro. Segundo ele, duas das áreas que serão exploradas já estão "mais ou menos identificadas" e a lógica que norteará a escolha das regiões será o potencial das reservas e não a possibilidade de unitização com acumulações já conhecidas.

"O que estou querendo dizer é que o foco não é a unitização. Ser do lado de Iara, de Tupi, este critério de ser perto ou longe não é mais o nosso critério. Nosso critério é localizar onde estão cinco bilhões (de barris) em grandes reservatórios", ressaltou Lima, que participou de evento promovido pela União Estadual dos Estudantes.

A unitização acontece quando reservatórios identificados extrapolam a área de concessão do bloco exploratório e se faz necessário um acordo para que um concessionário não retire óleo da área que pertence a outro concessionário. No caso do pré-sal, acumulações como Tupi e Iara podem extrapolar para uma região não concedida, cujos direitos pertencem à União.

Lima deixou claro que a intenção não é facilitar a unitização nessas áreas, mas buscar regiões onde seja provável a descoberta de grandes acumulações. A estimativa do diretor-geral da ANP é de que o processo de perfuração custe entre R$ 400 milhões e R$ 500 milhões.

"Nossa ideia é encontrar muito petróleo em poucas áreas. Nós precisamos encontrar 5 bilhões de barris e isso tem que ser em um ou no máximo dois blocos", destacou Lima, acrescentando que os poços deverão ser perfurados na costa de São Paulo.

O executivo informou ainda que o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) deverá decidir até o final do ano quando acontecerá a 11ª Rodada de Licitações da ANP. Lima acredita que a rodada possa acontecer no início de 2010, com foco em novas fronteiras, caso o CNPE siga a proposta enviada pela agência reguladora.

Lima disse ainda que a decisão sobre uma possível redução da proporção de álcool na gasolina vendida no país, hoje em 25%, será definida até a primeira quinzena de dezembro.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host