UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/11/2009 - 09h44

Brasil está em fase de "boom", diz sondagem econômica FGV/Ifo

SÃO PAULO - As expectativas de especialistas da América Latina sobre a economia da região melhoraram e continuam apontando para um cenário positivo, apesar de a análise para a situação atual ainda ser desfavorável. Para o Brasil, a situação é muito positiva e o país se encontra em fase de "boom" econômico, conforme sondagem feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com o instituto alemão Ifo.

O Índice de Clima Econômico (ICE) da América Latina avançou de 4 pontos em julho para 5,2 pontos em outubro, superando pela primeira vez desde janeiro de 2008 a média dos últimos dez anos, que é de 5,1 pontos. Segundo a metodologia do indicador, em uma escala de 1 ponto a 9 pontos. Marcações acima de 5 indicam otimismo; abaixo deste número, pessimismo.

Formado por dois subíndices, um sobre o presente e outro sobre o futuro, o movimento do indicador foi impulsionado pela melhora das expectativas - o Índice de Expectativas (IE) subiu de 5,4 pontos para 7 pontos entre julho e outubro. O Índice da Situação Atual (ISA) ficou no nível de 3,3 pontos, sendo que, em julho, estava em 2,6 pontos.

"A região manteve-se, desta forma, na fase de recuperação do ciclo, acompanhando, portanto, o resultado mundial", afirmou a FGV, em nota, enfatizando que o resultado da percepção atual ruim, seguido de expectativas boas se repete nos países desenvolvidos. Mas a situação do bloco formado por Brasil, Rússia, Índia e China está melhor, informa o levantamento. "Com exceção da Rússia, todos os BRICs já estão na fase de 'boom'", ressaltou o estudo. Na sondagem atual, o Brasil passou de terceiro lugar para o primeiro, em termos de índice de clima econômico, no nível dos 7,4 pontos. Na sequência, aparece a Índia, com 7 pontos, que perdeu a liderança, e depois a China, com 6,5 pontos.

Na análise para o Brasil, o ISA avançou de 4,3 pontos em julho para 6,4 pontos em outubro, enquanto o IE saiu de 6,6 pontos para 8,4 pontos. "A sondagem aponta que a recuperação da economia mundial se iniciou pelos países em desenvolvimento, especialmente os chamados emergentes da Ásia e alguns países latinos", reforçou o documento. O levantamento de outubro mostrou ainda que, dos países da América Latina, três estavam em fase "boom" econômico: além do Brasil, figuram Peru e Uruguai. Dentre esses países, o Brasil se destaca por apresentar os maiores índices da região "seja o de clima econômico, situação atual ou de expectativas".

A Argentina e o Paraguai saíram da recessão e entraram no ciclo de recuperação na última apuração. A Bolívia, por sua vez, está na fronteira entre a recessão e a recuperação. Chile, Colômbia e México permanecem na fase de recuperação, enquanto o Equador e Venezuela continuam na fase recessiva. Para fazer o indicador, os institutos de pesquisa avaliam informações dadas por especialistas nas economias de cada um dos países. Os especialistas foram consultados a respeito dos principais problemas que suas economias vêm enfrentando e classificaram entre os mais graves a falta de confiança nas políticas do governo, a demanda insuficiente e o desemprego.

(Vanessa Dezem | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host