UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/11/2009 - 20h00

Wall Street fecha no vermelho com cautela de investidores

SÃO PAULO - Pelo segundo dia consecutivo, as ações de empresas de tecnologia foram fonte de preocupação para os investidores que operam em Wall Street. Pressionados pela desvalorização desses papéis e pelo receio de que as ações em geral tenham se valorizado além do que seria razoável para o atual ritmo da economia, os principais indicadores desse mercado fecharam o dia no vermelho.

O Dow Jones Industrial caiu 0,9%, aos 10.332,44 pontos. O S & P 500 teve recuo de 1,3%, aos 1.094,90 pontos. O Nasdaq declinou 1,7%, aos 2.156,82 pontos.

Os indicadores sobre a economia americana divulgados hoje foram piores do que o esperado. Os pedidos de seguro-desemprego somaram 505 mil na semana passada, mais do que os 500 mil projetados por analistas. O índice dos indicadores antecedentes americanos, que sinalizam a direção da economia, subiu 0,3% em outubro, após alta de 1% em setembro. Foram índices considerados fracos para justificar perspectivas de atividade econômica que sustentassem a continuidade da alta das ações, que vêm subindo há oito meses. Preocupados com o que pode ser lentidão na retomada e ao mesmo tempo estimulados a embolsar lucros, os investidores optaram por vender ações e ativos de risco no pregão de hoje. Refugiaram-se no dólar - que subiu 0,5% perante uma cesta de seis moedas - e nos títulos do Tesouro americano - cujo rendimento caiu ao menor percentual desde dezembro.

A valorização do dólar repercutiu no mercado de commodities, cujas cotações são marcadas nessa moeda e tendem a recuar quando a divisa sobe. O barril de petróleo caiu pouco mais de US$ 2 em Nova York e isso afetou as ações de petroleiras. A Chevron, por exemplo, declinou 2%. Outras commodities também recuaram e influenciaram empresas como a produtora de alumínio Alcoa, que perdeu 3,9%.

No setor de tecnologia, a queda foi provocada por relatório de analista do Merrill Lynch segundo o qual a oferta de semicondutores é superior à demanda mundial. O relatório cortou a recomendação para as ações da Intel e da Texas Instruments de "compra" para "neutro" e os papéis declinaram 4,1% e 3,4%, respectivamente. A avaliação afetou também outros papéis do setor, como Hewlett-Packard e Microsoft, que fecharam em baixa de 1,3% e 1,1%, nessa ordem.

(Paula Cleto | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host