UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/11/2009 - 16h26

IOF não altera fatia da dívida interna detida por estrangeiros

BRASÍLIA - A taxação de 2% de IOF sobre a entrada de capital em operações de ações e renda fixa nada afetou a fatia da dívida interna detida pelos estrangeiros, em outubro. Essa parcela subiu de 7,16% em setembro para 7,68% do total em outubro, quando a barreira foi anunciada pelo governo.

Para o coordenador da Dívida Pública do Tesouro Nacional, Fernando Garrido, a medida corre o risco de ser inócua em relação a reduzir a participação dos estrangeiros na dívida interna. "Para o investidor que tem horizonte mais longo de investimentos, realmente, o IOF é um empecilho menor", afirmou, numa clara alusão ao fato de que a alta taxa de juros dos títulos públicos federais compensa a taxação.

De qualquer modo, ele tentou minimizar, e disse ser ainda cedo para uma avaliação sobre os efeitos da medida, implantada em 19 de outubro.

A medida foi baixada pelo governo com o objetivo de afetar a taxa de câmbio em queda, que no mês passado chegou a patamares bem baixos, em função de forte ingresso de dólares no país.

(Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host