UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/11/2009 - 19h29

Desembolsos do BNDES sobem 50% e atingem R$ 107,5 bi até outubro

SÃO PAULO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) desembolsou R$ 107,5 bilhões nos dez primeiros meses do ano, 50% acima do valor liberado em igual período do ano passado e 106% acima dos R$ 52,3 bilhões desembolsados em todo o ano de 2006.

As aprovações da instituição também bateram recorde nos dez primeiros meses do ano, atingindo R$ 129,9 bilhões, 40% acima do registrado entre janeiro e outubro de 2008. Os enquadramentos subiram 16% na mesma comparação, para R$ 150,2 bilhões, enquanto as consultas avançaram 20%, para R$ 183,5 bilhões.

De acordo com banco de fomento, os setores de material de transporte, química e petroquímica e metalurgia puxaram as liberações para a indústria, que responderam por 49% do total desembolsado até outubro, com R$ 52,6 bilhões, 82% acima do patamar registrado entre janeiro e outubro do ano passado.

Já o setor de infraestrutura recebeu R$ 36 bilhões do banco de fomento, 28% acima do período janeiro-outubro do ano passado. Só o segmento de energia elétrica contou com R$ 10,4 bilhões, 60% a mais que nos dez primeiros meses de 2008.

A indústria também puxou o resultado das aprovações, com R$ 60 bilhões, 24% a mais que entre janeiro e outubro do ano passado. A infraestrutura viu aprovados R$ 46,6 bilhões, 62% acima dos dez primeiros meses de 2008.

"O resultado (de infraestrutura) foi liderado pelos investimentos em energia elétrica. O setor atingiu R$ 13,4 bilhões em investimentos aprovados até outubro, equivalentes à expansão de 121% no período analisado", informou, em nota, o banco de fomento.

Nos 12 meses encerrados em outubro, os desembolsos do BNDES somaram R$ 128,3 bilhões, uma alta de 48% frente aos 12 meses imediatamente anteriores. As aprovações subiram 29%, para R$ 158,2 bilhões, enquanto os enquadramentos subiram 13%, para R$ 175,5 bilhões. As consultas avançaram 17%, para R$ 206,4 bilhões.

Os financiamentos às exportações nos primeiros 10 meses do ano cresceram 60%, para US$ 7,2 bilhões, contra US$ 4,5 bilhões de igual período do ano passado. Do total financiado nos 10 primeiros meses do ano, US$ 4 bilhões estão incluídos no Programa de Sustentação do Investimento (PSI) - criado para atenuar os impactos da crise na economia brasileira - que oferece financiamentos de até R$ 300 milhões por grupo econômico para as empresas dos setores de bens de capital.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host