UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/11/2009 - 16h46

Governo do Rio quer colocar agência estadual para fiscalizar a Light

SÃO PAULO - O governo do Estado do Rio quer acelerar o acordo entre a Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Rio de Janeiro (Agenersa) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para descentralizar as funções da autarquia federal e transferir para o órgão regulador fluminense a responsabilidade pela fiscalização da Light.

Os clientes da distribuidora de energia que atende parte do Estado do Rio, incluindo a capital, sofreram com cortes no fornecimento nos últimos dias. Ontem, um incêndio em equipamentos causou a queda de energia em bairros da Zona Norte, enquanto em Ipanema, Leblon e Lagoa, na Zona Sul, houve cortes no fornecimento devido a problemas com cabos subterrâneos.

Nestes três bairros, a energia foi religada plenamente na manhã de hoje, mas a região voltou a ficar sem luz no fim da manhã, afetando cerca de 12 mil clientes. Segundo a empresa, 120 equipes trabalharam durante toda a manhã para normalizar os serviços, o que só ocorreu às 14h40 de hoje.

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços do Rio, Julio Bueno, o convênio com a Aneel permitirá que a Agenersa acompanhe e avalie, inclusive, o plano de investimento para a rede de distribuição da Light. A descentralização não inclui responsabilidade pela homologação de tarifas e os reajustes continuarão sendo competência da autarquia federal. "Já pedi agilização do processo e vou me reunir com o presidente da Agenersa para estabelecer um cronograma para que a agência assuma o mais rapidamente possível a fiscalização dos serviços da Light, que hoje é realizada pela Aneel", ressaltou Bueno, em nota.

O secretário debateu a questão hoje com o presidente da Light, José Luis Alquéres. Segundo o comunicado distribuído pela secretaria, o executivo da empresa creditou as falhas no fornecimento ao aumento da demanda além do previsto (10% a mais em comparação com novembro de 2008), à onda de calor e às fortes chuvas, que resultaram no alagamento de galerias subterrâneas.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host