UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/11/2009 - 13h43

Bolsa mostra instabilidade, mas defende os 67 mil pontos

SÃO PAULO - O mercado de ações mostra instabilidade nas primeiras horas de pregão, reagindo a indicadores divergentes sobre a recuperação da economia norte-americana. Há pouco, o Ibovespa marcava alta de 0,44%, a 67.614 pontos, após alcançar a mínima de 67.240 pontos (baixa de 0,11%) e a máxima de 67.663 pontos (alta de 0,51%).

Em Nova York, as ações também não firmam tendência, com o Dow Jones mostrando alta de 0,24% há instantes, aos 10.459,03 pontos. Por sua vez, o S & P 500 avançava 0,27%, a 1.108,59 pontos, enquanto o Nasdaq Composto subia 0,36%, em 2.177,06 pontos.

No mercado de câmbio, o dólar comercial subia 0,05%, cotado a R$ 1,7330 para compra e a R$ 1,7360 para venda. A divisa, contudo, chegou a operar em queda e atingiu R$ 1,7240 na mínima até o momento.

O movimento nas bolsas reflete o choque entre os dados positivos no mercado de trabalho e gastos pessoais nos Estados Unidos com o declínio nos pedidos de bens duráveis no país em outubro. "Na primeira bateria de indicadores, tivemos dois bons e um fraco", diz Marcelo Mattos, operador da corretora Geraldo Corrêa. "Vamos ver se os indicadores da tarde conseguem fortalecer o mercado", acrescenta, referindo-se ao índice de confiança e ao balanço sobre as vendas de imóveis novos nos Estados Unidos.

Do lado dos indicadores positivos, o Departamento do Trabalho surpreendeu os agentes ao informar que os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos mostraram queda de 35 mil solicitações na semana passada. Já o Departamento de Comércio também trouxe dados alentadores ao reportar alta de 0,7% nos gastos dos consumidores em outubro, acima das expectativas de muitos analistas. Por outro lado, os novos pedidos de bens duráveis nos Estados Unidos cederam 0,6% no mês passado, na segunda queda mensal nos últimos três meses. De acordo com Mattos, conforme os índices acionários atingem pontuações máximas no ano, crescem os questionamentos sobre a recuperação da economia e os agentes passam a observar menor potencial de ganhos.

Entre as ações de maior peso no Ibovespa, a preferencial da Petrobras perdia 0,02% há instantes, para R$ 39,14, enquanto o papel PNA da Vale avançava 0,04%, a R$ 43,12. Por sua vez, a ação ON da BM & FBovespa subia 0,16%, a R$ 11,91.

Já no setor bancário, a preferencial do Itaú Unibanco tinha alta de 0,52%, a R$ 38,29, e a ação PN do Bradesco avançava 0,13%, a R$ 36,25, na esteira de dados do Banco Central sobre o crescimento do crédito no país.

(Eduardo Laguna | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host