UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/11/2009 - 16h46

CMN amplia prazo de carência para financiamento de bens de capital

BRASÍLIA - O Conselho Monetário Nacional (CMN) ampliou para até 36 meses, o prazo de carência na contratação de linha subsidiada junto ao BNDES, destinada a incentivar a aquisição e produção de bens de capital e inovação tecnológica.

Lançada como mais uma medida anticrise, o incentivo reduziu juros e ampliou para até 120 meses, o financiamento de máquinas e equipamentos para diversos setores da economia. A linha global é prevista em R$ 44 bilhões no BNDES, com subsídios totais do Tesouro estimados entre R$ 4 bilhões e R$ 5 bilhões.

De acordo com o chefe da assessoria econômica do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, a medida de hoje do CMN amplia de 24 para 36 meses, o prazo para que o comprador comece a pagar o financiamento, abrangendo bens de capital de determinados setores.

O benefício atinge financiamentos estimados em R$ 12 bilhões, dentro da linha total, que tem juros anuais fixados em 4,5% e impacto fiscal para o Tesouro de R$ 24 milhões a partir de 2012.

"São setores cujo processo produtivo é bastante extenso. Se não houvesse a flexibilização, corria o risco do comprador começar a pagar antes de receber o bem", disse Bittencourt.

A decisão do CMN beneficia aquisição e produção de máquinas e equipamentos dos setores portuário, petróleo e gás, energia elétrica, transporte, metroviário, ferroviário e marítimo de carga, assim como embarcações de apoio.

O prazo para solicitação de financiamentos dessa linha junto ao BNDES termina no próximo dia 30 de dezembro.

(Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host