UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/11/2009 - 19h13

Ibovespa recua 2,25% com tensões sobre Dubai

SÃO PAULO - Em uma sessão marcada pela tensão entre os agentes com a possibilidade de default (calote) em Dubai, o mercado de ações marcou hoje a primeira baixa em quatro dias, com o Ibovespa fechando o pregão em queda de 2,25%, aos 66.391 pontos. O principal índice de ações da bolsa operou em terreno negativo desde a abertura da sessão e chegou a perder 2,48%, na mínima do dia de 66.235 pontos.

Sem o apoio dos mercados americanos, fechados em razão do feriado de Ação de Graças, o movimento financeiro da bolsa foi fraco, somando R$ 3,868 bilhões. O pregão, no entanto, não foi tão tranquilo como esperavam muitos agentes.

A notícia de que o fundo de investimentos estatal Dubai World - com dívidas estimadas em US$ 60 bilhões - vai pedir mais seis meses para honrar seus compromissos com credores voltou a trazer receios sobre o sistema financeiro, em um momento de restauração da confiança no setor após a crise subprime.

Para André Perfeito, economista da Gradual, ainda é prematuro fazer qualquer comparação com os eventos de setembro do ano passado, quando a quebra do Lehman Brothers deflagrou a crise financeira em sua fase mais aguda. No entanto, o analista acredita que a notícia de hoje pode prejudicar o processo de recuperação da confiança nos bancos, algo que custou centenas de bilhões de dólares aos governos europeu e norte-americano.

A possibilidade de exposição de bancos da Europa ao passivo da Dubai World centrou a preocupação dos investidores nos mercados do continente nesta quinta-feira. Perfeito diz que as notícias sobre o fundo dos Emirados Árabes continuarão norteando os investimentos nos próximos dias. Amanhã, será a vez das bolsas de Nova York sintetizarem a notícia. " Vamos ficar ao sabor desse evento por um tempo " , diz o analista da Gradual. Entre as ações da maior liquidez da bolsa, os papéis ligados a commodities, siderurgia e setor bancário mostraram ajuste para baixo. Em linha com a desvalorização do petróleo, a ação preferencial da Petrobras recuou 2,53%, a R$ 38,45. Por sua vez, a PNA da Vale teve desvalorização de 2,98%, a R$ 48,80.

Em siderurgia, a ação PN da Gerdau, empresa brasileira do setor mais exposta ao mercado internacional, recuou 2,56%, a R$ 27,77. Na sequência, a ação PNA da Usiminas caiu 1,94%, a R$ 50,50, e o papel ON da CSN perdeu 1,57%, a R$ 58,59.

No setor bancário, as baixas foram mais expressivas, a começar pela ação PN do Itaú Unibanco, que teve declínio de 3,27%, a R$ 37,52. O papel PN do Bradesco caiu 2,22%, a R$ 35,54, enquanto a ação ON do Banco do Brasil fechou o pregão em queda de 2,07%, a R$ 30,19.

(Eduardo Laguna | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host