UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/11/2009 - 18h54

Vale e Aço Cearense pretendem construir laminadora no Pará

RIO - A Vale e a Aço Cearense entregaram hoje ao governo do Estado do Pará o memorando de entendimento firmado entre as duas empresas para viabilizar a produção de aço laminado e revestidos numa área integrada à Aços Laminados do Pará (Alpa), a siderúrgica de Marabá. Caso seja implantada, a nova unidade de laminação significará um investimento total de US$ 750 milhões.

As duas empresas vão desenvolver, até 2010, um estudo de viabilidade econômica para implantar, em Marabá, uma indústria para produzir até 710 mil toneladas de laminados a quente por ano, 450 mil toneladas de laminados a frio e 150 mil toneladas de galvanizados, com placas fornecidas pela Alpa. O terreno para construção da indústria será concedido em regime de comodato. Caso a mineradora e a siderúrgica cearense decidam pela implantação do projeto, será criada uma empresa com 25% de participação da Vale e 75% de participação do Grupo Aço Cearense, que, a partir daí, ficará responsável pela implantação, operação e comercialização dos produtos da nova empresa.

A Alpa está sendo desenvolvida pela Vale e será instalada em Marabá, com capacidade anual de produção de 2,5 milhões de toneladas de placas de aço e investimento total estimado em US$ 2,76 bilhões. A expectativa é de que a terraplenagem comece em junho de 2010 e as demais etapas das obras, em outubro. A entrada em operação da usina deve acontecer no segundo semestre de 2013. No dia 28 de outubro, a Vale entregou ao Governo do Estado do Pará o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) da Alpa. O estudo é o primeiro passo para a obtenção da licença prévia do empreendimento e será oportunamente revista quando da decisão de sua implantação nos novos moldes.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host