UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/11/2009 - 14h07

Aneel deve definir em duas semanas valor de multa da Light

RIO - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve definir em duas semanas qual será a penalidade imposta à Light pelas interrupções de energia registradas nos últimos dias no Rio de Janeiro. O diretor geral da agência, Nelson Hubner, afirmou que a companhia alegou ter sido apanhada de surpresa pelas altas temperaturas dos últimos dias, em um cenário de pouca mudança do volume consumido nos últimos dez anos.

"De certa forma, eles também foram surpreendidos com a elevação desse consumo aqui no Rio, o que está acarretando nestes desligamentos. Essa onda de calor acabou pegando de surpresa a empresa, que trabalhou com limite de carregamento no circuito muito acima do que aqueles com que ela trabalhou nos últimos anos. Mas a empresa não pode trabalhar com os limites tão apertados. Ela tem que ter um sistema configurado para essas situações", ressaltou Hubner.

A agência determinou que a Light apresente diariamente um relatório sobre os cortes de energia, sempre que houver interrupções no seu sistema de distribuição. Dizendo-se preocupado com a situação no Rio de Janeiro, Hubner destacou que o órgão regulador cobrou da distribuidora ações de curto prazo para evitar novos desligamentos, uma preparação para o período do verão e investimentos de longo prazo para reforço da rede. Hubner, no entanto, afirmou que a Light tem investido valores satisfatórios nos últimos anos. "A Light tem investido um nível bastante elevado, até superior aos valores mínimos que colocamos para investimento quando fazemos as revisões. Vamos avaliar se esses investimentos estão de fato sendo direcionados para atender essas necessidades e isso é uma análise mais aprofundada que vamos fazer", destacou.

Hubner garantiu que a empresa vai ser multada, mas afirmou que o objetivo maior é agir para evitar novos cortes de energia.

"Isso (a multa) faz parte do processo de fiscalização. A agência está fechando esse processo e com certeza deve ter consequências para a empresas. Mas esse é o menor problema. Não temos nenhum objetivo de sair multando as empresas, queremos que todo cidadão seja atendido com energia de qualidade, esse é o objetivo", disse.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host