UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

30/11/2009 - 16h52

MMX pode conseguir até US$ 650 milhões com emissão privada de ações

RIO - A MMX espera conseguir cerca de US$ 650 milhões com a oferta privada de ações que permitirá a entrada da Wuhan Iron and Steel (Wisco) no capital da mineradora, com 21,52% do capital. O presidente da companhia brasileira, Roger Downey, explicou que a expectativa é de que os minoritários exerçam os direitos de subscrição, adicionando cerca de US$ 250 milhões aos US$ 400 milhões que serão aportados pelos chineses.

A operação vai significar a redução da participação dos acionistas controladores - do Grupo EBX, do empresário Eike Batista - dos atuais 64,12% para cerca de 42%. Downey fez questão de frisar que os recursos que entrarão na empresa vão garantir "solidez enorme" ao balanço da companhia.

"Isso realmente resolve o nosso problema com endividamento, nos permite começar a trabalhar na nossa expansão, inclusive para continuar nossa renegociação de dívida com muita facilidade", frisou Downey, acrescentando que no terceiro trimestre o mercado de minério de ferro entrou em uma fase de aquecimento, trazendo melhora nos resultados operacionais da companhia.

Em termos financeiros, a empresa fechou o terceiro trimestre com R$ 62,8 milhões em caixa, valor que não cobria nem 10% da dívida financeira de curto prazo, que era de R$ 677 milhões. O patrimônio líquido da empresa encerrou o período negativo em R$ 218 milhões.

A Wisco terá direito também a dois assentos no Conselho de Administração da MMX. Downey destacou que a negociação teve um desfecho melhor que o indicado em fato relevante divulgado em junho. Na ocasião, as conversas caminhavam para a entrada da Wisco com uma participação de apenas 9% na MMX e a aquisição de uma fatia mais relevante na MMX Sudeste, responsável pelos projetos de Serra Azul e Bom Sucesso, ambos em Minas Gerais.

"As discussões com a Wisco ao longo desse tempo foram tão boas que elas resultaram numa decisão de investir na companhia listada. Como 100% da MMX Sudeste é da MMX S.A., ela (Wisco) está comprando também a MMX Sudeste. Comprar 21,52% da empresa significa que ele está sinalizando interesse por projetos além do projeto Sudeste", ressaltou Downey, acrescentando que a companhia chinesa tem interesse também no projeto que a MMX possui no Chile.

A MMX possui, no país sul-americano, dois direitos minerários de minério de ferro, com opção para mais dois direitos, totalizando 1.760 hectares.

"Ela (Wisco) se interessou por um projeto de consolidação que podemos liderar, se interessou pelo projeto no Chile, especificamente, que está direcionado para a China tanto pela logística, como também pelo tipo de produto que é gerado no Chile. A Wisco está alinhada com os interesses dos demais acionistas", garantiu Downey.

Em Minas, a mineradora opera o projeto de Serra Azul perto da capacidade máxima, de 8,7 milhões de toneladas anuais. Bom Sucesso deve entrar em operação em 2013 e todo o sistema Sudeste pode atingir até 33,7 milhões de toneladas, embora Downey não descarte a possibilidade de expandir essa capacidade no futuro.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host