UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

21/12/2009 - 17h04

Chefe do Fed de Chicago não vê urgência em mexer na política de juros

SÃO PAULO - A economia dos Estados Unidos deve crescer entre 3% e 3,5% nos próximos 18 meses, embora a taxa de desemprego continue alta, estimou o presidente da unidade de Chicago do Federal Reserve, Charles Evans. Em entrevista ao vivo para a rede de TV americana CNBC, ele disse acreditar que as pressões inflacionárias no país continuam fracas, o que permitiria à autoridade monetária manter por algum tempo sua atual política de juro básico perto de zero. " Não vejo necessidade urgente de recalibrar " , afirmou, lembrando que agora o foco está sobre a estratégia para abandonar gradativamente os programas de injeção de liquidez na economia. Para Evans, o Fed poderia começar a considerar um aumento de juros " em três ou quatro reuniões " - ou seja, no segundo trimestre de 2010. " Acredito que 2010 definitivamente será um ano melhor do que este ano e o anterior " , disse ele. No entanto, a taxa de desemprego, que está em 10% agora, deve se manter elevada, caindo para algo em torno de 9,5% no fim de 2010. (Paula Cleto | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host