UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

21/12/2009 - 19h29

Miguel Jorge diz que não vê necessidade de alta dos juros

SÃO PAULO - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, afirmou hoje que apenas uma " explosão do consumo " justificaria um aumento da taxa de juros no próximo ano, em resposta às projeções do mercado que apontam um aperto na política monetária em algum momento de 2010. "A única razão para um aumento de juros seria uma explosão de consumo, com uma capacidade instalada que não pudesse atender à demanda", disse o ministro durante o anúncio do plano de investimento do Walmart para 2010. Segundo Miguel Jorge, os níveis de uso da capacidade instalada mostram que a indústria ainda tem folga para ampliar a produção: dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) referentes a novembro marcam um nível de utilização da capacidade instalada de 82,9%. O ministro ainda ressaltou que os investimentos da indústria no próximo ano deverão subir em 10%, ampliando a capacidade do setor em abastecer o mercado. Durante o evento da empresa varejista, Miguel Jorge ironizou as projeções de economistas, que estimam uma taxa Selic de 10,75% ao ano até o final de 2010, conforme o boletim Focus, a pesquisa semanal do Banco Central (BC) com instituições financeiras. " A cada semana os economistas mudam as previsões. Elas têm sido erradas nos últimos 40 anos " , disse o ministro, acrescentando que não vê a necessidade de alta dos juros em 2010. Miguel Jorge ainda fez alguns comentários sobre as medidas de estímulo fiscal implementadas durante a crise. Segundo ele, o governo tem monitorado a economia para avaliar a necessidade de novas medidas. Não obstante, com a tendência de normalização da atividade econômica, ele diz que os estímulos deverão ser reduzidos ou mesmo retirados em 2010. (Eduardo Laguna | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host