UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/12/2009 - 12h06

DIs longos caem após Relatório de Inflação

SÃO PAULO - Mesmo com Banco Central (BC) projetando forte crescimento da economia em 2010 e Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) pouco acima da meta de 4,5% tanto no ano que vem quanto em 2011, os contratos de juros futuros longos ajustam para baixo na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F).

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2011, referência de mercado, tinha alta de 0,03 ponto percentual, a 10,36%, depois de cair a 10,31%. Enquanto isso, janeiro de 2012 recuava 0,04 ponto, a 11,81%. E janeiro 2013 apontava queda de 0,09 ponto, a 12,36%.

Na parte curta da curva, o DI com vencimento em janeiro de 2010 marcava estabilidade, a 8,63%. E julho de 2010, que divide as apostas entre alta de juros no primeiro ou segundo semestre, projetava 9,14%, elevação de 0,02 ponto.

Para um gestor de renda fixa que prefere não se identificar, mais importante que as projeções do BC é que o Relatório de Inflação acenou com a possibilidade de Selic a 8,75% ao ano vir a ser a nova taxa de equilíbrio da economia brasileira. " Essa foi a grande surpresa. Nos dois cenários, a inflação fica em torno da meta, mostrando que há sustentabilidade da economia com tal taxa de juros. " Com isso, diz o gestor, o mercado pode passar a incorporar uma probabilidade maior de estabilidade na taxa básica de juros ao longo do ano que vem. A confirmação disso depende da evolução dos dados.

Para o especialista, o pico da retomada da atividade após o baque da crise já aconteceu. A partir do começo de 2010, a atividade deve voltar a rodar em patamar considerado normal, com taxas de crescimento anualizadas na casa de 4% a 5%. " Essa é uma recuperação que provavelmente não traz pressão inflacionária. " Um sinal de que o pico da euforia de crescimento já pode ter passado, segundo o especialista, pode ser obtido pela leitura do Índice de Confiança do Consumidor. O dado, divulgado hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostrou queda, de 115,1 pontos em novembro para 112,3 pontos agora em dezembro. Entre as projeções do relatório, o gestor chama atenção para a previsão do BC de crescimento do PIB de 5,8% em 2010, mais otimista que a mediana do mercado, que, segundo o Boletim Focus, trabalha com alta de 5%.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host