UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/12/2009 - 14h31

Ministério Público abre investigação sobre compra da GVT

SÃO PAULO - O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro abriu um procedimento investigatório para acompanhar a operação de compra da GVT pela francesa Vivendi. O procedimento foi instaurado pelo procurador da República Cláudio Gheventer, que atua na área do direito do consumidor e da ordem econômica, "com o objetivo de verificar se houve qualquer lesão aos acionistas minoritários com a operação", segundo informou a assessoria de imprensa do órgão. Para a investigação, o Ministério Público enviou um ofício para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), requisitando as informações que a instituição tem sobre o caso, e para a Vivendi, pedindo explicações técnicas sobre a aquisição. A assessoria não soube informar os prazos que cada uma das partes tem para responder os ofícios, mas afirmou que não há prazo para a conclusão da investigação. Caso seja comprovada alguma irregularidade no acordo entre as duas companhias, os promotores podem mover uma ação ou instalar um inquérito na Justiça, exigindo punições. O procedimento instaurado pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, no entanto, "é de praxe", segundo afirmou a assessoria, não condicionando, portanto à continuidade para um processo ou ação. Procurada, a Vivendi não comentou o assunto. A GVT, por sua vez, afirmou que não tem nenhuma informação sobre a ação do Ministério. Devido às festas de fim de ano, a justiça brasileira está de recesso até o dia 7 de janeiro. Na última sexta-feira, a Telefônica enviou à CVM questionamentos sobre a transação a serem respondidos pelo órgão regulador, que também investiga o caso. A empresa espanhola, que ficou de fora da disputa pela GVT, questionou, inclusive, a legalidade da aliança da Vivendi com o fundo inglês Tyrus (Vanessa Dezem | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host