UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/01/2010 - 12h47

Bovespa defende alta, mas dólar reverte e sobe a R$ 1,735

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) segue operando em alta, mas parece encontrar alguma resistência acima da linha dos 71 mil pontos. Depois de bater 71.068 pontos na máxima da manhã, por volta das 12h40, o Ibovespa ganhava 0,78%, a 70.813 pontos. O giro financeiro estava em R$ 1,51 bilhão.

De acordo com o analista da Leme Investimentos, João Pedro Brugger Martins, notícias favoráveis vindas da economia chinesa aliadas ao fluxo de recursos externos dão sustentação às compras na Bovespa.

Reforçando a posição de liderança na retomada global, a China mostrou que suas exportações voltaram a subir em dezembro - foi registrada uma alta de 18%. Já as importações saltaram 55,9% no mês, puxadas pela maior compra de petróleo.

Dados da Bovespa apontam que o saldo estrangeiro se aproxima do R$ 1 bilhão agora em janeiro. No acumulado do mês, até o dia 7, ou seja, quatro dias úteis, as compras ultrapassavam as vendas em R$ 907 milhões. Ainda de acordo com Martins, o mercado opera na expectativa de resultados trimestrais positivos no front interno. Atenção especial, segundo o especialista, para as empresas ligadas ao mercado doméstico, depois de um quarto trimestre de aceleração da atividade local. Para o analista, o desempenho das empresas deve ditar o rumo dos negócios nos próximos meses, ajudando o Ibovespa a buscar as máximas históricas na casa dos 73.500 pontos.

No lado corporativo, Vale PNA mantém a força da semana passada, ganhando 1,03%, a R$ 46,02, maior preço desde junho do ano passado. Acompanhando o petróleo, Petrobras PN subia 0,73%, a R$ 37,22.

O papel ON da OGX Petróleo ganhava 3,10%, a R$ 18,61. A empresa anunciou nova descoberta na Bacia de Campos, agora no campo OGX-4.

Dando continuidade aos ganhos da semana passada, TAM PN subia 2,86%, a R$ 43,08, e GOL PN aumentava 2,54%, a R$ 28,66. Ganhos de mais de 3% para Braskem PNA, que valia R$ 14,34.

Fora da festa, JBS ON recuava 1,10%, a R$ 9,85. Natura ON perdia 0,47%, a R$ 35,83, e Telemar ON devolvia 0,35%, a R$ 44,40.

Os recibos de ação da Dufry desaceleraram o ritmo de alta, mas ainda ganhavam 2,54%, a R$ 36,30. Na máxima, o papel saiu a R$ 38,90, ou ganho de 9,89%. A controladora da Dufry, a suíça Dufry AG (DAG), decidiu unificar as companhias. Com isso, a DAG será listada na Bovespa e não mais a Dufry South America (DSA). Pelos termos da operação, os acionistas da DSA receberão US$ 3,92 por ação em dividendo e mais um BDR (recibo de ação) da DAG para cada 4,10 recibos de DSA que possuem.

Também fora do índice, o apetite pelos ativos da Laep e de sua controlada Parmalat chamam a atenção novamente. Vale lembrar que, na sexta-feira, o papel da Laep foi o segundo mais negociado da bolsa, ao movimentar R$ 611 milhões. O ativo ganhou mais de 30%. Já o papel ON da Parmalat subiu 95% no pregão de sexta-feira. Nesta segunda-feira, o recibo da Laep apontava alta de 11,94%, a R$ 3,0, e o papel ON da Parmalat tinha acréscimo de 22,35%, a R$ 22,00.

Também em recuperação judicial, Gradiente ON saltava 41,23%, a R$ 6,20. Na sexta-feira, o papel ganhou 29%.

Com mais de R$ 100 milhões em volume, Brasil Ecodiesel ON subia 7,25%, a R$ 1,33.

No câmbio local, a formação de preço destoa do mercado externo, onde o dólar cai forte ante o euro e a libra. Os compradores voltaram a aparecer seguindo a divulgação de um déficit comercial de US$ 375 milhões na primeira semana de janeiro. O BC já fez seu leilão de compra, tomando moeda a R$ 1,7283. Depois de cair a R$ 1,719 pela manhã, há pouco, o dólar comercial valia R$ 1,735 na venda, alta de 0,28%. Em Wall Street, o dia também é de valorização. O Dow Jones começou o pregão com valorização de 0,13%, enquanto o Nasdaq subía 0,10%. Os agentes mantêm o tom otimista enquanto aguardam os resultados da Alcoa, empresa que dá a largada na temporada de balanços trimestrais. Há pouco, a agência de classificação de risco Fitch Ratings reafirmou a classificação AAA, máxima na escala, para os Estados Unidos. A perspectiva da nota é estável.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host