UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/01/2010 - 13h15

Telefónica mantém metas, após desvalorização na Venezuela

SÃO PAULO - A companhia de telecomunicações espanhola Telefónica disse hoje que mantém seus guidances (metas) de curto e médio prazo e seus objetivos de dividendos até 2012, apesar da decisão do governo venezuelano de desvalorizar a moeda local, o bolívar.

A Venezuela passou a adotar um sistema com dois tipos de taxas de câmbio. Em um, voltado para produtos essenciais - como alimentos, remédios e máquinas e equipamentos -, o dólar subirá de 2,15 - cotação que vigorava desde 2005 - para 2,60 bolívares.

No segundo, usado nas transações de produtos considerados não essenciais - como veículos, eletrônicos e aparelhos de telecomunicações -, a moeda venezuelana teve uma desvalorização de 50%, para 4,30 bolívares por dólar. Segundo o governo, a medida tem a finalidade de estimular as exportações, além de estancar a saída de dólares do país.

Na Bolsa de Madri, as preocupações sobre os impactos da medida nos negócios da Telefónica na Venezuela - que representam quase 16% das receitas do grupo na América Latina - levam os papéis da empresa a operar em baixa de 3,04%, a 18,53 euros.

No entanto, a empresa garante os planos de pagar neste ano um dividendo de 1,4 euro por ação, elevando o valor distribuído para 1,75 euro até 2012, de acordo com um porta-voz do grupo. Além disso, a operadora prevê crescer a uma taxa média anual entre 1% e 4% no período de 2008 a 2012. (Eduardo Laguna | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host