UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/01/2010 - 17h33

Chávez retira Caracas do plano de racionamento de energia

SÃO PAULO - O governo da Venezuela decidiu suspender o plano de racionamento de energia em Caracas. Mas os cortes programados seguem sem alterações no restante do país, informou a Agencia Bolivariana de Noticias. "Me dei conta de que houve um impacto não desejado", explicou o presidente Hugo Chávez durante o programa "La Hojilla". "Retificar é para os sábios", acrescentou.

Chávez disse ainda que, devido a falhas técnicas cometidas pelas autoridades encarregadas do plano de racionamento, destituiu o ministro de Energia Elétrica, Ángel Rodríguez.

O racionamento no restante do país se mantém, porque, segundo o presidente, está sendo administrado com responsabilidade e sem erros.

Chávez ainda avisou que o governo irá convocar reuniões com todos os setores, devido à crítica estiagem que está afetando as hidrelétricas destinadas à geração de energia.

No dia 12, o governo venezuelano tinha anunciado uma ampliação no racionamento de energia, prevendo cortes de energia escalonados, com duração de quatro horas, que afetariam, dia sim, dia não, todas as regiões do país.

Rodríguez, o então ministro de Energia disse, na ocasião, que a medida era necessária para evitar que o nível do reservatório da hidrelétrica de Guri - responsável por 70% da energia elétrica consumida no país - caísse ainda mais, uma vez que isso provocaria um colapso no abastecimento.

Os cortes estavam programados para começar na quarta-feira por Caracas. Entretanto, a medida foi criticada por economistas, para quem o racionamento afundaria o país numa recessão ainda mais severa. A economia da Venezuela registrou contração de 2,9% no ano passado.

(Karin Sato | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host