UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/01/2010 - 14h10

Juros futuros passam por ajuste e apresentam queda na BM&F

SÃO PAULO - Após uma sequência de forte aumento dos prêmios de risco nos dias que antecedem a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o mercado de juros futuros passa por uma correção nesta jornada. A maior parte dos contratos de Depósitos Interfinanceiros (DIs) recua na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) no início desta tarde, após instabilidade vista na primeira etapa da sessão.

Há pouco, o DI com vencimento em julho deste ano cedia 0,01 ponto percentual, para 11,89%, enquanto o contrato do início de 2012 mantinha o patamar de 12,40%, e o de abertura de 2013 apresentava decréscimo de 0,05 ponto, a 12,71%. O DI de janeiro de 2014, por sua vez, recuava 0,08 ponto, a 12,61%; o do início de 2015 cedia 0,08 ponto, a 12,51%, e os contratos de abertura de 2016 e 2017 perdiam 0,06 ponto e 0,08 ponto, respectivamente a 12,40% e 12,32%.

Na ponta bem curta da curva de juros, o DI de março deste ano subia 0,01 ponto, a 11,13%, assim como o contrato com vencimento em abril avançava 0,01 ponto, a 11,36%.

Henrique de La Roque, gestor de renda fixa e derivativos da Brasif Gestão, assinala que o mercado passa por um ajuste dada a piora dos últimos dias, a medida que novos números de inflação eram divulgados. "O mercado começou a extrapolar, imbutindo na curva de juros uma possibilidade de alta maior que meio ponto da Selic agora em janeiro. Houve um pânico de curto prazo. Como hoje temos um dia mais favorável, vemos uma realização", assinala.

Em relatório enviado a clientes, a economista-chefe da Icap Brasil, Inês Filipa, apontou que o ajuste esperado para o encontro do Copom realizado entre hoje e amanhã é de uma alta de 0,50 ponto percentual da taxa Selic, mas ressaltou que sempre haverá alguma movimentação por parte do mercado de uma elevação maior, de 0,75 ponto, "seja por hedge ou por aposta". "Trabalhamos com três altas consecutivas de 0,50 ponto, com o Copom visando à convergência da inflação em 2012. O governo é um importante componente nas nossas expectativas, divulgando até o final de fevereiro o tão aguardado ajuste fiscal. Caso a política fiscal continue ?frouxa', é possível que o processo de elevação da Selic seja prolongado", comentou.

No noticiário do dia, o mercado aguarda para as 14 horas a divulgação dos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) referentes ao mês de dezembro e ao balanço anual de 2010.

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host