UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/01/2010 - 10h24

À espera dos dados de fluxo cambial e IED, dólar segue valorizado

SÃO PAULO - Depois de o tom de cautela ter prevalecido no mercado de câmbio nas operações de ontem, levando os agentes a dar continuidade ao movimento de compras de dólar, os números do fluxo cambial parcial e o comportamento do investimento externo direto (IED) em dezembro e em 2009 deverão nortear os negócios desta quarta-feira.

O Banco Central anuncia às 10h30 a nota do setor externo. Em novembro, o balanço de pagamentos registrou superávit de US$ 3,9 bilhões, a conta capital e financeira apresentou superávit de US$ 7,3 bilhões e as transações correntes registraram déficit de US$ 3,3 bilhões. Já os investimentos estrangeiros diretos tiveram ingressos líquidos de US$ 1,6 bilhão naquele mês.

Mais tarde, às 12h30, o BC ainda divulga o fluxo cambial atualizado. A primeira semana deste mês registrou fluxo negativo, pressionado pela forte saída de divisas em contratos de importação. A remessa de moeda estrangeira foi superior ao ingresso em US$ 1,768 bilhão, pelo movimento nos bancos entre os dias 4 e 8 de janeiro. Por fim, os agentes de mercado também devem estar atentos aos rumores que correm pelas mesas de operação referentes a uma nova emissão de alguma empresa de grande porte.

Ontem, o dólar comercial subiu 0,28% em relação ao real, a R$ 1,772. Há pouco, a moeda americana registrava valorização de 0,62%, a R$ 1,781 na compra e a R$ 1,783 na venda. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o dólar futuro, com vencimento em fevereiro, avançava 0,64%, a R$ 1,7855.

Na avaliação da diretora de câmbio da AGK, Miriam Tavares, a perspectiva de que o Fundo Soberano do Brasil (FSB) atue no mercado se o fluxo de ingressos estiver mais forte e a piora esperada nas contas externas do país estão levando as tesourarias a reforçar as posições compradas na moeda, o que mantém as cotações pressionadas e oscilando no intervalo de R$ 1,77 a R$ 1,78. " Diante destas expectativas, os dados do setor externo brasileiro em dezembro, que saem daqui a pouco, e os do fluxo cambial na semana passada, um pouco mais tarde, serão muito importantes e terão força para amenizar ou potencializar as pressões negativas do cenário externo sobre o câmbio doméstico nesta quarta-feira " , ressaltou a diretora, em relatório enviado ao mercado.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host