UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/01/2010 - 20h23

Bolsas dos EUA caem com restrição da China e balanços

SÃO PAULO - As bolsas americanas apresentaram forte baixa nesta quarta-feira, influenciadas pela decisão da China de apertar a oferta de crédito e também por alguns balanços de empresas e bancos.

O índice Dow Jones perdeu 1,14%, para 10.603 pontos, maior baixa percentual desde o fim de dezembro. O S & P 500 recuou 1,06%, para 1.138 pontos e o Nasdaq caiu 1,26%, para 2.291 pontos. Ao longo do dia, os índices chegaram a cravar queda de mais de 2%.

A China foi a principal culpada pelo tombo, que afetou diversos mercados. O país decidiu desacelerar o ritmo de concessão de crédito e intensificar o monitoramento de bancos, na tentativa de prevenir bolhas especulativas no setor imobiliário e em outros ativos, tendo em vista a recuperação da economia do país.

Entre as companhias que publicaram balanços, as ações da IBM recuaram 2,9% após investidores assimilarem que o ritmo de crescimento dos resultados da empresa de serviços de tecnologia será lento em 2010. A empresa trouxe lucro de US$ 4,8 bilhões no quarto trimestre de 2009.

O desempenho acabou influenciando papéis de outras empresas do setor, como a Apple, que recuou 1,5%, pressionando o Nasdaq.

O Bank of America trouxe um prejuízo maior que o esperado, mas afirmou que os problemas de crédito estão começando a se estabilizar, o que ajudou o papel a subir 1%.
A instituição fechou o quarto trimestre com prejuízo líquido de US$ 5,2 bilhões. Já o Morgan Stanley (-1,6%) encerrou o trimestre com lucro de US$ 413 milhões em operações continuadas.
(Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host