UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/01/2010 - 21h11

Oferta da PDG garante R$ 424 milhões com colocação prioritária

SÃO PAULO - A PDG Realty comunicou que os pedidos de reserva da oferta prioritária, realizado hoje, somaram R$ 424,42 milhões. Essas intenções de investimento foram comunicadas pelos cotistas do fundo FIC PCP, os únicos que poderiam participar dessa operação. O fundo tem como acionistas um grupo de ex-sócios do Banco Pactual.

Vale lembrar que o FIC PCP é o detentor de 100% das cotas do Fundo de Investimento em Participações (FIP) PDG I, que é o acionista vendedor na oferta secundária de ações que está em andamento. Com isso, os cotistas do FIC PCP (que hoje são detentores indiretos das ações), passarão a ser acionistas diretos da incorporadora.

O fundo vendedor (o FIP PDG I), que é gerido por Gilberto Sayão, está em fase de desinvestimento, após a recente venda do UBS Pactual para a BTG, comandada por André Esteves, ex-sócio de Sayão no Pactual.

Ainda de acordo com o comunicado ao mercado divulgado pela companhia, os pedidos de reserva no âmbito da oferta prioritária não estão condicionados ao preço de emissão das ações, que só será conhecido em 4 de fevereiro, após a conclusão do procedimento de coleta de intenções de investimento (bookbuilding).
Considerando o preço de fechamento do papel da PDG no pregão de hoje na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), de R$ 15,49, a venda inicial de 97.084.946 ações ordinárias movimentaria R$ 1,50 bilhão. Ou seja, a oferta prioritária já garantiu cerca de 30% da colocação total.

Cabe lembrar, no entanto, que a soma de pedidos da oferta prioritária pode ser superior aos R$ 424 milhões já anunciados.

Os acionistas da gestora Vinci Partners (criada por Sayão e que também reúne ex-sócios do Pactual cotistas do FIP) já anunciaram a intenção de comprar um mínimo de 10% das ações na oferta, algo em torno de R$ 150 milhões, considerando o preço atual do papel.

O varejo também pode tomar parte na venda dos ativos. Os pedidos de reserva podem ser efetuados até o dia 3 de fevereiro, no valor mínimo de R$ 3 mil.

Além das 97.084.946 ações iniciais, a distribuição contra com lote suplementar de 15%, que caso exercido elevaria o valor da operação a R$ 1,72 bilhão e marcaria a venda completa da participação de 28,64% que o FIP PDG I detém na companhia.

Essa será a quarta vez que a PDG venderá ações na Bovespa. A companhia chegou ao Novo Mercado em janeiro de 2007, com emissão primária e secundária de 46,313 milhões de ações, a R$ 14,00 cada.
Já em novembro daquele mesmo ano, levantou outros R$ 575 milhões com uma oferta primária de 23 milhões de ações, a R$ 25,00 cada. E em outubro do ano passado, a empresa vendeu outros 75,6 milhões de papéis em distribuição primária e secundária a R$ 14,00 cada.
(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host