UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/01/2010 - 15h10

Economia do governo para pagar juros atinge R$ 39,2 bi e fica abaixo da meta

BRASÍLIA - A economia feita pelo governo central para pagar juros da dívida, chamada de superavit primário, alcançou R$ 39,215 bilhões em 2009, o que corresponde a 1,25% do PIB. O número ficou abaixo da meta do governo, que era de 1,4% do PIB.

Os números refletem o desempenho de caixa conjunto do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central (BC). Amanhã, será divulgado o resultado geral, composto por União, Estados, municípios e estatais.


Em 2008, o resultado das contas apresentou superávit de R$ 71,438 bilhões, o equivalente 2,38% do PIB.

O Tesouro Nacional teve resultado positivo de R$ 82,713 bilhões no ano passado. O INSS marcou deficit de R$ 42,867 bilhões e o Banco Central (BC) registrou deficit de R$ 629,6 milhões.

A receita total do governo central ficou em R$ 739,304 bilhões em 2009, contra R$ 716,658 bilhões apurados em 2008. Descontadas as transferências para Estados e municípios, de R$ 127,683 bilhões, a receita líquida situou-se em R$ 611,620 bilhões no ano passado.

Já as despesas totais somaram R$ 572,405 bilhões, ante R$ 497,900 bilhões registrados em 2008. O superavit primário do governo central é o resultado da diferença entre a receita líquida e as despesas totais.

 

Dezembro

Apenas em dezembro, o superavit somou R$ 1,699 bilhão. O Tesouro Nacional teve resultado positivo de R$ 11,6 milhões. O INSS marcou superavit de R$ 1,756 bilhão e o Banco Central (BC) registrou deficit de R$ 68,3 milhões.

Em dezembro de 2008, o resultado das contas apresentou deficit de R$ 19,994 bilhões. Em novembro deste ano, o governo central verificou superavit de R$ 10,662 bilhões (revisado).

Em dezembro, a receita total do governo central ficou em R$ 79,647 bilhões em dezembro, maior do que os R$ 74,239 bilhões apurados em novembro. Descontadas as transferências para Estados e municípios, de R$ 13,896 bilhões, a receita líquida situou-se em R$ 65,751 bilhões no mês passado.

Já as despesas totais somaram R$ 64,051 bilhões, contra R$ 51,400 bilhões (revisado) registrados em novembro. O superavit primário do governo central é o resultado da diferença entre a receita líquida e as despesas totais.

(Azelma Rodrigues/Valor)

 

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host