UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/02/2010 - 19h50

Amil compra Esho, empresa de seu presidente Edson Bueno

SÃO PAULO - A Amil Participações exerceu a opção de compra, contratada em outubro de 2007, por 100% das cotas da Empresa de Serviços Hospitalares (Esho). O valor da operação foi de R$ 60,1 milhões, dinheiro que vai para o bolso de Edson de Godoy Bueno, atual presidente do Conselho de Administração e diretor-presidente da Amil.

O contrato de opção de compra foi fechado pela Amilpar com a Esho na época da abertura de capital da empresa e consta no prospecto da oferta na parte "operações com partes relacionadas".

Pelos termos de tal contrato, a gestão de dois hospitais estava garantida ao grupo Amil por um período de 24 meses. Após esse prazo, a Amil tinha a opção de comprar os referidos hospitais pelo valor patrimonial contábil apurado por auditoria independente; extinguir ou prorrogar o acordo.

A decisão pela compra foi tomada pelo Conselho de Administração em 9 de novembro de 2009 e comunicada hoje ao mercado.

De acordo com comunicado, os ativos principais que compõem a Esho, atualmente, são os três hospitais que já eram administrados pela Amilpar. São eles: Hospital CardioTrauma e Hospital Mário Lioni, localizados no Rio de Janeiro, e o Hospital Paulistano, que fica em São Paulo.

O pagamento da aquisição será feito em 48 parcelas mensais, iguais e sucessivas, corrigidas pelo CDI, sendo que a primeira vence no dia 18 de fevereiro e as demais parcelas no dia 15 de cada mês.

A criação da Esho precede a fundação da Amil por Bueno. A empresa foi criada em 1975 para consolidar as aquisições de clínicas e hospitais feitas pelo médico a partir de 1972. Conforme o negócio crescia, em 1978 foi fundada a Amil.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host