UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/02/2010 - 09h53

Cosan negocia associação com Shell e tem forte lucro trimestral

SÃO PAULO - A Cosan celebrou no fim de semana memorando de entendimentos não vinculante com a Shell para unir os negócios de etanol e distribuição e comercialização de combustíveis no Brasil. Com prazo de exclusividade de 180 dias, as empresas avaliam uma transação estimada em US$ 12 bilhões.

"Dentre as linhas de negócios em que a Cosan atua, farão parte da associação os negócios de açúcar e etanol, incluindo operações de co-geração de energia, de distribuição e comercialização de combustíveis, os ativos de logística de etanol e a totalidade de sua participação societária em uma companhia de comercialização de etanol, totalizando US$ 4,925 bilhões", destacou em fato relevante distribuído nesta segunda-feira. A Cosan vai transferir ainda dívidas líquidas da ordem de US$ 2,524 bilhões.

A Shell, por sua vez, entrará na associação com os ativos de distribuição e comercialização de combustíveis no Brasil e com sua participação em empresas de pesquisa e desenvolvimento a partir da biomassa. No comunicado, consta ainda que a Shell "realizará em até dois anos um aporte em dinheiro no valor aproximado de US$ 1,625 bilhão e um aporte contingente estimado pela Cosan em US$ 300 milhões ao longo de um período de aproximadamente 5 anos, a título de contribuição adicional baseada em ganhos futuros da estrutura conjugada".

A implementação da associação, cuja formalização está sujeita à satisfação de certas condições, deve ocorrer por meio da criação de duas empresas, a A & E (açúcar e etanol) e a DS (downstream), de distribuição e comercialização de combustíveis.

Ficam de fora do negócio o segmento de fabricação e comercialização de lubrificantes da Cosan bem as atividades logísticas desenvolvidas pela Rumo Logística S.A., propriedades agrícolas. e as marcas de varejo de alimentos, como Da Barra e União, e desenvolvimento futuro da atividade de co-geração.

Matéria do jornal Valor publicada hoje dá conta que, com o negócio, Shell e Cosan se tornam a terceira maior distribuidora de combustíveis do país.

Além desse informe, a Cosan mostrou que seu terceiro trimestre fiscal foi marcado por lucro líquido de R$ 167,1 milhões, bem superior aos R$ 5,2 milhões somados um ano antes. O resultado, como explicou a empresa, "foi fortemente favorecido pelo reconhecimento de ganhos de Refis, no montante de R$ 211,6 milhões, e negativamente impactado por reduções nos volumes de venda de açúcar e etanol".

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) correspondeu a R$ 490,4 milhões no trimestre, contra R$ 340,4 milhões de mesmos três meses de 2009. A margem Ebitda passou de 13,3% para 12,9%.

A Cosan lembrou da adoção de mudança de critério de apuração da depreciação ajustada para fins de Ebitda. A companhia registrou ainda receita líquida trimestral 48% maior, indo de R$ 2,565 bilhões para R$ 3,8 bilhões.

(Juliana Cardoso | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host