UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/02/2010 - 20h46

Bolsas americanas sobem em reação a possível socorro à Grécia

SÃO PAULO - As bolsas americanas atingiram ganhos expressivos nesta terça-feira, movidas pela expectativa de um resgate financeiro à Grécia por parte dos países da União Europeia. Os balanços corporativos e empresas ligadas a commodities deram o tom da alta.

O índice Dow Jones fechou com alta de 1,52%, aos 10.058 pontos, maior alta percentual desde 9 de novembro de 2009. O Nasdaq avançou 1,17%, para 2.150 pontos, enquanto o S & P 500 registrou ganho de 1,3%, para 1.070 pontos.

As ações da Caterpillar dispararam 5,4% e apresentaram o melhor desempenho entre as componentes do Dow. O Morgan Stanley elevou a recomendação dos papéis e afirmou que o cenário para a fabricante de máquinas pesadas melhorou.

Coca-Cola subiu 2,6% após apresentar crescimento de 55% no lucro do quarto trimestre, para US$ 1,54 bilhão. A companhia informou que seus resultados foram impulsionados principalmente pela vendas no Brasil, China e Índia, onde os volumes evoluíram 8%, 29% e 20%, respectivamente.

Entre as empresas ligadas a commodities, AK Steel subiu 4,1%, US Steel ganhou 4,4% e ConocoPhilips avançou 2,4%. A valorização do euro frente ao dólar puxou a cotação das matérias-primas para cima. Só o petróleo registrou alta de 2,5% hoje.

Os mercados reagiram com forte alta à expectativa de uma ajuda financeira à Grécia por parte da União Europeia. Segundo o site do jornal Financial Times Deutschland, o governo da Alemanha estaria planejando um programa de auxílio ao país. O vice-líder da coalizão governista no parlamento, Michael Meister, disse que o programa está em estudo, justificando que a intenção é de assegurar a estabilidade do euro. Tal ajuda, porém, só seria concedida mediante o compromisso do governo grego em realizar reformas profundas no Estado. A dívida pública da Grécia, de 13% do PIB, supera em muito a meta da zona do euro, de 3% do PIB, e crescem os temores de que o país poderia entrar em moratória se não conseguir se refinanciar.

(Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host