UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/02/2010 - 13h56

ICV tem maior alta desde 2003, revela Dieese

SÃO PAULO - A inflação no município de São Paulo situou-se em 1,72% em janeiro. O resultado representa a maior taxa mensal desde janeiro de 2003, quando o Índice de Custo de Vida (ICV) do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) atingiu 2,92%.

Na época, explica o Dieese, havia a preocupação com mudança na condução da política econômica, já que Luiz Inácio Lula da Silva acabava de tomar posse como presidente da República. Nos 12 meses até janeiro de 2010, o ICV registrou alta de 5,11%.

Coordenadora da pesquisa, a economista Cornélia Nogueira Porto destacou que, apesar da forte alta em janeiro, o indicador não aponta para uma tendência de crescimento para os próximos meses. "Creio que em fevereiro a taxa deve vir bem mais baixa, em torno de 0,20%. Neste mês não teremos mais tanto o impacto dos preços indexados nos serviços", explicou. As despesas com Transporte e Alimentação foram as principais responsáveis pela pressão nos preços na cidade de São Paulo no mês passado. Juntos os dois grupos contribuíram com 1,16 ponto percentual no ICV. No caso dos Transportes, o crescimento de 5,05% foi influenciado pelo reajuste dos combustíveis (5,23%) e o aumento na tarifa de ônibus municipal (17,39%). Já os Alimentos tiveram elevação de 1,33%. Embora menor do que índice registrado em Educação e Leitura (4,10%) e Saúde (1,65%), este grupo tem um peso (27,8%) maior na composição das despesas familiares. "O item alimentação fora do domicílio, por exemplo, ficou 1,84% mais caro porque os restaurantes e lanchonetes sempre fazem os seus reajustes no começo do ano", disse Cornélia. A economista também destacou a pressão nos preços de produtos in natura (1,91%), em especial das hortaliças (25,20%). "A sorte é que esse item tem um peso pequeno sobre o grupo Alimentação". O Dieese ainda calculou o índice de preços para três faixas de renda: o estrato 1 (famílias com renda média mensal até R$ 377,49), o estrato 2 (renda média de R$ 934,17) e estrato 3 (R$ 2.792,90). Para a menor renda, a inflação foi de 1,52%, enquanto para a faixa intermediária ficou em 1,82%. Por fim, a população de maior renda teve um ICV de 1,72%.

(Fernando Taquari | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host