UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/02/2010 - 13h49

Programa Minha Casa, Minha Vida acelera setor imobiliário

BRASÍLIA - Bandeira do governo em ano eleitoral, o programa habitacional "Minha Casa, Minha Vida" também é a estrela do setor de construção civil em 2010.

Pesquisa inédita divulgada hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que o setor aposta em mais contratações, aumento de produção, da compra de matérias primas, crédito fácil e, claro, aumento das margens de lucro neste ano.

De acordo com o vice-presidente da Câmara Brasileira da Construção Civil (CBIC), José Carlos Martins, boa parte do otimismo detectado no levantamento "Sondagem da Construção Civil" tem o programa habitacional destinado à população de baixa renda como mote.

"O Minha Casa, Minha Vida traz uma onda de otimismo porque é uma mudança de conceito, uma mudança cultural forte", avaliou Martins.

Ele justificou que o programa subsidiado para a construção de cerca de um milhão de moradias "altera uma realidade" que se via no país, ao dar acesso a esse tipo de crédito a famílias pobres.

"Dados históricos mostram que 97% das moradias de famílias com renda entre zero e três salários mínimos eram feitas na autogestão", com parcos recursos próprios, pela falta de acesso dessa parcela da população sequer a crédito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), continuou Martins.

Segundo ele, a única nuvem negra vista pelo setor é a "falta de terrenos para novos empreendimentos " , inclusive para o Minha Casa, Minha Vida. Outro problema apontado na pesquisa é a falta de trabalhador qualificado. "Houve um pulo muito grande do dia para a noite, com modernização tecnológica. As construções imobiliárias também hoje estão mais para fábricas com linhas de montagem do que para a construção artesanal do passado", comentou o executivo da CBIC, que reúne 62 entidades de todos os setores ligados à construção imobiliária.

(Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host