UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/02/2010 - 16h09

Setores da economia reverterão crise no primeiro trimestre, diz Serasa

SÃO PAULO - Estudo da Serasa mostra que as empresas ainda sentiram os efeitos da crise mundial no último trimestre do ano passado, cenário que deve se reverter nos primeiros meses de 2010, segundo afirmação do analista setorial da Serasa Experian, Marcos Abreu.

A pesquisa trimestral, divulgada hoje, analisa quatro atividades da economia - primária, comercial, industrial e de serviços - totalizando 98 setores, com relação ao desempenho de cada segmento no que se refere a produção, vendas, exportações, importações, emprego, entre outros aspectos.

Por meio dos dados compilados, os setores são classificados em cinco conceitos: favorável, aceitável mais, aceitável, aceitável menos e desfavorável. Depois, é realizada comparação com igual trimestre do ano anterior.

Nos últimos três meses de 2009, 45 setores tiveram estabilidade no conceito em relação a igual trimestre de 2008, 18 apresentaram melhora, por conta da recuperação da atividade econômica e 35 apresentaram piora no conceito, com destaque para aqueles da atividade industrial. "Houve melhora no nível de atividade econômica para alguns setores, mas a crise ainda se refletiu no último trimestre. A mudança mesmo é esperada para este trimestre. Nossa estimativa é de que o número de setores que apresentarão melhora do conceito se iguale à quantidade de setores com estabilidade e supere o número de setores com piora", explicou o analista, ao lembrar que a base de comparação é fraca.

"A partir do último trimestre de 2008, com o agravamento da crise, os setores foram afetados principalmente por conta da escassez de crédito. As empresas reduziram o ritmo de investimento e de produção, bem como demitiram. E houve uma crise de confiança, com o consumidor postergando as compras. Os conceitos pioraram muito no último trimestre de 2008. A indústria foi a atividade mais prejudicada." Segundo ele, a atividade industrial, que totaliza 54 setores no estudo, está dando sinais de recuperação e seus setores devem apresentar melhora no conceito este trimestre. "A produção industrial mostra um avanço e as empresas estão recompondo estoques." O analista destacou ainda a perspectiva otimista para o setor de serviços, que conta com 25 setores, dentre os quais 15 registraram estabilidade no conceito, cinco tiveram piora e outros cinco melhor. "Os setores de serviços devem apresentar melhora no conceito neste trimestre, influenciados principalmente pelo crescimento de emprego e renda. Segmentos que demandam alto investimento, como o de construção civil, telefonia, geração de energia e portos, são os que devem se destacar este ano", finalizou Abreu.

(Karin Sato | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host