UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/02/2010 - 16h43

Bolsas europeias fecham em rumos opostos com balanços e ajuda à Grécia

SÃO PAULO - Um encontro entre os principais líderes europeus para discutir um programa de socorro à Grécia, realizado hoje cedo em Bruxelas, concentrou as atenções dos investidores das bolsas do continente, que fecharam em direções opostas.

Em Londres, o FTSE 100 terminou aos 5.161 pontos, com alta de 0,57%. Em Frankfurt, o DAX perdeu 0,58%, para 5.503 pontos, enquanto em Paris, o CAC 40 recuou 0,52%, para 3.616 pontos.
O presidente da União Europeia, o belga Herman Van Rompuy, afirmou que o bloco chegou a um acordo para ajudar a Grécia a sair da crise que tem afetado o euro e os mercados. Aguarda-se agora o detalhamento do acordo. Rumores sugerem que o pacote de ajuda deve chegar a 55 bilhões de euros.

Pouco antes da cúpula, foi necessária uma minirreunião de emergência para alguns líderes convencerem a chanceler alemã Angela Merkel a apoiar o plano de socorro para a Grécia e evitar um colapso do euro. Sem a Alemanha, não tinha jeito de um pacote decolar. O problema é que Angela Merkel enfrenta dificuldades dentro de sua coalizão e na população alemã para apoiar o plano de socorro.
Os alemães, mas também várias outras autoridades, incluindo o Banco Central Europeu (BCE), desconfiam da real capacidade de Atenas de cumprir o plano de ajuste para reduzir o déficit público de 13% do PIB para apenas 3% em 2012.

Os investidores acompanharam ainda a queda nos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos. Os novos pedidos somaram 440 mil na semana passada, 43 mil a menos que na semana anterior.

No campo corportativo, o destaque negativo ficou com o BT Group, cujas ações despencaram 8,8%. O maior grupo de telefonia britânico apresentou lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) de 1,44 bilhão de libras (US$ 2,25 bilhões) no terceiro trimestre fiscal, 11% a mais que em igual período do ano anterior.
No entanto, a companhia anunciou um déficit de 9 bilhões de libras (US$ 17,3 bilhões) em seu fundo de pensão. A empresa terá de aportar 525 milhões de libras por ano, nos primeiros três anos de um total de 17, para conseguir recuperar o fundo.

Ainda entre as empresas que divulgaram balanços hoje, Rolls Royce subiu 6,5% ao apresentar lucro acima a expectativa do mercado e Alcatel-Lucent perdeu 11,8% após apresentar fraco resultado.

(Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host