UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/02/2010 - 11h14

Açúcar Guarani reverte prejuízo e lucra R$ 1,8 milhão no trimestre

SÃO PAULO - A Açúcar Guarani reverteu o prejuízo líquido ajustado de R$ 88,1 milhões apurado no terceiro trimestre da safra 2008/09, ao registrar lucro líquido de R$ 1,8 milhão no mesmo período do ciclo 2009/10.

De acordo com a empresa, a evolução trimestral pode ser atribuída aos melhores resultados no Brasil, em razão de preços mais elevados, que compensaram os prejuízos em Moçambique, no valor de R$ 40 milhões, relacionados à menor produção e desvalorização da moeda local.

Nos primeiros nove meses desta safra, encerrados em dezembro de 2009, o lucro líquido da empresa correspondeu a R$ 15,7 milhões, ante perda ajustada de R$ 166,8 milhões em igual intervalo do calendário anterior.

O resultado sofreu ajustes decorrentes da amortização de ágio no terceiro trimestre e nos nove primeiros meses da safra passada. Sem a correção, o prejuízo da companhia nos respectivos períodos do ciclo 2008/09 teria sido maior, de R$ 113 milhões e de R$ 241,4 milhões, respectivamente.

A receita operacional líquida da Guarani aumentou 1,3% no terceiro trimestre da safra 2009/10, ante igual período de 2008, para R$ 363,8 milhões. Nos nove primeiros meses deste ciclo, a elevação foi de 14,3%, para um total de R$ 970,7 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado da companhia somou R$ 93,5 milhões no terceiro trimestre, queda de 19,4% na comparação anual. No acumulado da safra, o Ebitda ajustado avançou 8,2%, para R$ 208,3 milhões.

A margem Ebitda ajustado da empresa caiu de 32,3% para 25,7%, na relação trimestral. Na comparação entre o acumulado da safra 2009/10 com o mesmo período do ciclo anterior, a margem recuou de 22,7% para 21,5%.

"O terceiro trimestre do ano precedente foi expressivamente influenciado pela desvalorização cambial e os elevados volumes de exportação. Os resultados operacionais do terceiro trimestre de 2009/10 foram positivamente influenciados por melhores preços de açúcar e etanol. No entanto, o Ebitda ajustado foi negativamente impactado pelas operações em Moçambique e o efeito do clima chuvoso que prejudicou a produção de açúcar e etanol", ressaltou a empresa.

A moagem de cana diminuiu 3,4% no terceiro trimestre, para 4,1 milhões de toneladas, e encolheu 2,2% nos nove primeiros meses da safra, para 14,082 milhões de toneladas.

"O efeito adverso provocado pelas intensas chuvas no Brasil e o clima seco em Moçambique resultaram em um volume total de cana-de-açúcar moída de 14,1 milhões de toneladas na safra 2009/10, abaixo da estimativa revisada da Guarani de 14,5 milhões de toneladas", ressaltou a companhia.

Como resultado da redução no tempo de moagem, a Guarani informou que antecipará o início da próxima safra para meados de março em três de suas unidades industriais, enquanto as demais iniciarão a moagem em abril.

Segundo a companhia, o menor conteúdo de açúcar na cana e a queda de produção em Moçambique resultaram em um mix de produção menos voltado para açúcar do que na safra precedente. Nos nove primeiros meses deste ciclo, a Guarani direcionou 56% da cana para a produção de açúcar, comparados aos 59% registrados no mesmo período do ano anterior. Desta forma, a produção de açúcar foi 15,2% inferior ao acumulado no mesmo período da safra 2008/09, somando 979 mil toneladas.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host