UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/02/2010 - 17h33

Após quatro altas consecutivas, dólar fecha semana em queda

SÃO PAULO - Depois de quatro semanas seguidas de valorização, o dólar fechou o período encerrado nesta sexta-feira no campo negativo. No período, a moeda acumulou baixa de 1,69%, maior queda semanal desde a registrada entre os dias 2 e 6 de novembro de 2009 (-2,16%). No mês, a moeda já recuou 1,38% e, no ano, subiu em 23 dos 30 dias de negócios, com valorização acumulada de 6,66%.

Nesta sexta-feira, os investidores adotaram maior cautela nas operações, tendo em vista o feriado de Carnaval, que deixará o mercado fechado na segunda e na terça-feira.

Com mínima de R$ 1,850 e máxima de R$ 1,874, o dólar comercial encerrou o dia negociado a R$ 1,857 na compra e a R$ 1,859 na venda, apreciação de 0,48% em relação ao último fechamento. No cenário externo, o euro também perdeu força para a divisa americana, em meio à espera pelo detalhamento do acordo estabelecido por países que integram a União Europeia para ajudar a Grécia, país que enfrenta sérios problemas de endividamento.

Nesta manhã, a Eurostat, órgão oficial de estatísticas da União Europeia, informou que o Produto Interno Bruto (PIB) dos 16 países da zona do euro cresceu 0,1% do terceiro para o quarto trimestre de 2009. Na comparação com o mesmo período de 2008, foi registrada queda de 2,1%. Em 2009 como um todo, o PIB da região teve contração de 4%.

Já o Departamento Federal de Estatísticas (Destatis) revelou que o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha registrou variação nula nos três últimos meses do ano passado, em relação ao trimestre antecedente, respeitando ajuste sazonal, de preço e de calendário.

Dessa forma, a tendência de crescimento da economia alemã observada no segundo trimestre (0,4%) e no terceiro trimestre de 2009 (0,7%) não teve prosseguimento.

Na China, o banco central anunciou que ampliará a taxa do depósito compulsório em 0,5 ponto percentual a partir do dia 25 deste mês. É a segunda vez neste ano que a autoridade monetária toma essa decisão.

O gerente de operações da Terra Futuros, Arnaldo Puccinelli, assinala que as notícias deixaram o mercado um pouco preocupado, o que levou a cotação do euro a ceder.

"Perto dos outros dias, o fluxo também está muito baixo. Muitos nem quiseram abrir posições, por causa do feriado", comentou.

O dólar chegou a subir 1,30% na máxima do dia, mas desacelerou, acompanhando uma leve recuperação do euro, que também conseguiu diminuir as perdas ao longo da sessão.

Na roda de "pronto" da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o dólar subiu 0,62%, para R$ 1,8635. O volume despencou de US$ 10,75 milhões, na quinta-feira, para US$ 2 milhões hoje. Já os negócios no interbancário caíram de US$ 1,3 bilhão para US$ 1,1 bilhão, no mesmo período.

Vale lembrar que os negócios na BM & F foram interrompidos das 10h45 às 11h25, em função de problemas técnicos na plataforma GTS .

O Banco Central realizou leilão de compra de dólar no mercado à vista nesta manhã, e a taxa de corte foi de R$ 1,8590.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host