UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/02/2010 - 07h34

BM & FBovespa eleva fatia no CME e fará nova plataforma de negociação

SÃO PAULO - A BM & FBovespa vai aumentar sua participação no CME Group dos atuais 1,8% para 5%. Pelo acordo fechado com a bolsa americana de futuros, as duas instituições também vão desenvolver uma plataforma de negociação multimercado. O acordo tem um horizonte inicial de 15 anos.

Para elevar a fatia no CME, a BM & FBovespa vai desembolsar cerca de US$ 620 milhões e o investimento total da bolsa brasileira no grupo americano atingirá aproximadamente US$ 1 bilhão. Com a operação, que ainda precisa da aprovação de assembleia de acionistas, a BM & FBovespa ficará com 5% do CME - mesma fatia que o CME possui hoje da BM & FBovespa. A participação cruzada não pode cair abaixo de 2% durante a duração do acordo. Cada uma terá um representante no conselho da outra.

Já na plataforma multimercado que as duas bolsas vão desenvolver, a BM & FBovespa deve aplicar US$ 175 milhões ao longo de dez anos (valor presente de US$ 100 milhões). A plataforma será única e integrada, podendo servir para negociar ações, derivativos, taxas de câmbio e juros, títulos públicos e privados e outros ativos de balcão. O módulo de derivativos, que deve estar funcionando até o começo de 2011, vai substituir o GTS - atual sistema de negociação da BM & F. O segundo módulo, a ser implementado até o fim de 2011, ocupará o lugar dos sistemas Megabolsa, Sisbex e BovespaFix, usados para negociar ações e títulos.

Segundo comunicado publicado pela bolsa, o acordo torna as duas instituições " sócios estratégicos preferenciais globais " . Nesta manhã, o presidente da BM & FBovespa, Edemir Pinto, e o diretor-financeiro, Carlos Kawall, concedem entrevista coletiva para dar detalhes da operação.

O CME Group é dono da maior bolsa de derivativos do mundo, a Chicago Mercantile, e também controla a Chicago Board of Trade (CBOT) e a Nymex, bolsa mercantil de Nova York. Na quarta-feira, o CME Group anunciou que formará uma joint venture com a Dow Jones, empresa pertencente ao conglomerado de mídia News Corp, do magnata Rupert Murdoch. Essa joint venture englobará o negócio de distribuição de preços de ações e índices em bolsa, incluindo o conhecido Dow Jones, principal referencial da Bolsa de Nova York. Para ter 90% da associação, o CME Group pagará US$ 607,5 milhões à News Corp. A Dow Jones continuará responsável pela gestão das cotações, distribuindo informações sobre o preço de mais de 130 mil ativos.

(Paula Cleto | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host