UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/02/2010 - 16h23

DIs encerram negócios sem direção em véspera de feriado

SÃO PAULO - Pressionado pela inflação registrada pelo Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) de fevereiro, que veio mais alta que o previsto, o mercado de juros futuros encerrou a primeira etapa dos negócios acumulando prêmios de risco.

À tarde, entretanto, atentos com o feriado que deixará as operações paradas na segunda e na terça-feira, os investidores reduziram as posições em alguns vencimentos e os contratos de Depósitos Interfinanceiros (DIs) fecharam o dia sem rumo definido na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F).

Ao fim da jornada, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2011, o mais líquido do dia, caía apenas 0,01 ponto percentual, a 10,24%, enquanto os contratos do primeiro mês de 2012 e de 2013 recuavam 0,02 ponto e 0,04 ponto respectivamente, a 11,45% e a 11,98%. Já o DI para janeiro de 2014 subia 0,02 ponto, a 12,28%.

Entre os vencimentos curtos, julho de 2010, que divide as apostas quanto à possibilidade de alta na Selic no primeiro ou no segundo semestre, cedia 0,02 ponto, a 9,15%, enquanto o DI de abril estava parado, a 8,695%.

Até as 16h15, antes do ajuste final de posições, foram negociados 364.835 contratos, equivalentes a R$ 32,117 bilhões (US$ 17,345 bilhões), abaixo do total registrado ontem (R$ 47,98 bilhões). O vencimento para janeiro de 2011 foi o mais negociado, com 216.110 contratos, equivalentes a R$ 19,829 bilhões (US$ 10,709 bilhões).

No front doméstico, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) revelou que a inflação medida pelo IGP-10 atingiu 1,08% em fevereiro, após ficar em 0,20% em janeiro. Todos os componentes do indicador registraram elevação mais marcada no período, com destaque para o Índice de Preços por Atacado (IPA), que aumentou 1,15% neste mês, aceleração de 1,08 ponto percentual ante janeiro.

"O número do IGP-10 veio acima do previsto, mas o mercado também deu uma parada nas operações depois do almoço. Além disso, houve uma paralisação de 45 minutos da BM & F, o que fez com que gestores e traders interrompessem as posições também", comentou o gestor da SLW Asset Management, Gustavo Gazaneo.

Os negócios na BM & F foram interrompidos das 10h45 às 11h25, em função de problemas técnicos na plataforma GTS .

No front externo, o destaque partiu do continente asiático, com o anúncio feito pelo banco central da China de ampliação da taxa do depósito compulsório em 0,5 ponto percentual, a partir do próximo dia 25. Esta é a segunda vez no ano que a autoridade monetária toma essa decisão.

"A questão deixa o mercado mais alerta sobre o que Banco Central poderá fazer no Brasil, já que a China sinaliza que está mexendo nos compulsórios antes dos juros, e há uma dúvida se isto pode postergar nossa subida de juros", afirmou Gazaneo.

Embora a próxima semana conte com poucos dias de operação do mercado, o gestor aponta que as atenções deverão estar voltadas para o comportamentos dos riscos soberanos dos Pigs (Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha).

No cenário interno, a agenda curta reserva números atualizados da balança comercial brasileira, dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) relativos a janeiro e o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) do segundo decêndio de fevereiro.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host